...
||MOBILE|RSS
RSS
+-TEXTO
AVALIAR
Dinheiro Vivo | Lusa

Por Dinheiro Vivo | Lusa

PUB
A Start Up Incubation Network é uma incubadora que pretende acolher no seu espaço cerca de 30 empresas

Start Up Incubation Network quer potenciar "condições privilegiadas" de Coimbra

Start Up Coimbra
Incubadora apoia empresas de Coimbra
D.R.
13/12/2013 | 13:04 | Dinheiro Vivo

A Start Up Incubation Network (SIN), apresentada esta sexta-feira, em Coimbra, pretende apoiar empresas de diferentes áreas de negócio na cidade e ocupar "um vazio" deixado no setor da incubação, através da aposta em parcerias.

A SIN poderá acolher no seu espaço físico "até 30 empresas", tendo como um dos focos "a internacionalização de empresas locais" com "robustez a nível doméstico", explicou à agência Lusa, Hugo Alves Silva, presidente da incubadora, à margem da apresentação, na Praça do Comércio.

De acordo com o presidente da SIN, a incubadora já dispõe, "em potencial, de 750 mil euros de investidores privados abertos a algumas áreas de negócio", sendo que o processo de investimento arranca no início de 2014.

Veja também: Startup GetSocial capta investimento de 630 mil euros

"A incubadora começa já com duas empresas integradas: uma publicação 'online' e uma aplicação tecnológica na área do turismo", referiu Hugo Alves Silva, perspetivando-se a entrada de mais "três a quatro projetos" a curto prazo.

A SIN pretende "ter um método de incubação de espetro alargado", afirmou Hugo Alves Silva, diferenciando-se da incubadora da Universidade de Coimbra, Instituto Pedro Nunes (IPN), "muito centrada na tecnologia", dando "espaço a negócios que não conseguem ter apoio no IPN".

Apesar de também haver alguma atenção ao setor tecnológico na SIN, "a economia criativa, saúde e turismo", entre outras áreas, terão lugar na recém-criada incubadora.

"Coimbra tem condições privilegiadas de recursos humanos altamente qualificados". Contudo, "não há um plano para fixar as pessoas" à cidade, sublinhou Hugo Alves Silva, explicando que, a partir de Coimbra, a incubadora pretende "ramificar-se" para cidades como Leiria, Guarda, Viseu ou Aveiro, estando previsto o projeto de expansão iniciar-se no segundo semestre de 2014.

Para já, a SIN apoia duas empresas mas procura negócios na área da economia critiva, saúde e turismo, entre outras

Comentar

Se está registado, faça Login

Perdeu a password?Se não tem conta,REGISTE-SE AQUI

Nota: Os comentários deste site são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Conheça as Regras de Comunidade e Termos de Uso.

A Carregar...
Opinião&Blogs
Abril de Leonardo
Por Sérgio Figueiredo
01:00
O melhor é o que aí vem  Por Sílvia de Oliveira
01:00
A saída mais fácil  Por Ricardo Reis
01:00
Calvário  Por João Adelino Faria
Slideshows