...
23/07/2014 | 18:43 | MOBILE | RSS
RSS
+-TEXTO

Por Luís Reis Ribeiro

PUB
Passos Coelho admite que possa existir uma diferenciação da própria TSU

Passos admite suavizar subida da TSU

Passos Coelho
D.R.
13/09/2012 | 20:37 |  Dinheiro Vivo

A medida que sobe a Taxa Social Única dos trabalhadores para financiar um corte na dos empregadores poderá ser suavizada, diz o primeiro-ministro.

Em entrevista à RTP1, Pedro Passos Coelho referiu, sem nunca quantificar valores, que os empregados com "salários mais baixos" serão salvaguardados no aumento da TSU de 11% para 18% em 2013 "através de um crédito fiscal" ou de uma outra medida que torne o peso dos descontos mais progressivo.

"Admito que possa existir uma diferenciação da própria TSU", declarou. Uma diferenciação de acordo com o nível salarial: quanto maior, mais penalizador será o agravamento da TSU.

Mas Passos não deu com mais pormenores. Disse não quer fechar portas a uma eventual negociação da medida.

"O Governo está aberto, como é evidente, a debater quer com o PS, quer com os parceiros sociais". No entanto, o primeiro-ministro nunca aceitou deixar cair a medida em si.

A medida que sobe a Taxa Social Única dos trabalhadores para financiar um corte na dos empregadores poderá ser suavizada, diz o primeiro-ministro.

Em entrevista à RTP1, Pedro Passos Coelho referiu, sem nunca quantificar valores, que os empregados com "salários mais baixos" serão salvaguardados no aumento da TSU de 11% para 18% em 2013 "através de um crédito fiscal" ou de uma outra medida que torne o peso dos descontos mais progressivo.

"Admito que possa existir uma diferenciação da própria TSU", declarou. Uma diferenciação de acordo com o nível salarial: quanto maior, mais penalizador será o agravamento da TSU.

Opinião&Blogs
iTime. Está na hora de acordar, Apple
Por  Ana Rita Guerra
00:12
As lições económicas da copa   Por  João Almeida Moreira
03:35
01:19
Três vezes GES   Por  Sérgio Figueiredo
Slideshows
Judeus e Árabes "recusam-se...