21/12/2014 | 16:28 | MOBILE | RSS
RSS
+-TEXTO

Por Ricardo Reis

PUB
Bancos que não querem saber de lucros são animais perigosos. As Cajas e a crise financeira em Espanha comprovam-no

Sem fim lucrativo?

20/04/2012 | 23:00 |  Dinheiro Vivo

Se um vendedor me telefona a oferecer um brinde, desconfio que me vai ludibriar. Se me oferecem um investimento com retorno alto e garantido, sei que é melhor virar as costas. E, se lido com uma organização sem fins lucrativos, em vez de baixar a guarda e tentar ajudar, penso: que grande perigo.

Existem muitas pessoas por trás de uma organização. Cada uma dá o seu contributo e é recompensada em troca. Os trabalhadores dão o seu esforço e competências e recebem salário. Os credores dão fundos e recebem juros. Os acionistas dão capital e recebem os lucros.

Nas organizações sem fins lucrativos, não existem acionistas. Por isso, muitos pensam que estas instituições têm menos interesse em aproveitar-se delas. Mas, pelo contrário, a organização continua a querer extrair o máximo de receita vinda do meu bolso. Pode não pagar lucros, mas os trabalhadores querem melhores salários e edifícios luxuosos, os gestores querem bons carros e mordomias, e os credores querem receber os empréstimos de volta.

Opinião&Blogs
A Rússia está ao rublo!
Por  Tiago Figueiredo Silva
16:36
Felizes contradições   Por  João Adelino Faria
08:41
Portugal é mexilhão   Por  Pedro Bidarra
00:01
Petrodólares   Por  Ricardo Reis