...
24/07/2014 | 18:43 | MOBILE | RSS
RSS
+-TEXTO

Por Miguel A. Pinto

PUB
Ministro das Finanças faz defesa da austeridade em declarações ao The New York Times

Gaspar: "Tentámos o estímulo económico, mas não resultou"

Vítor Gaspar
João Girão
24/04/2012 | 08:23 |  Dinheiro Vivo

A defesa da austeridade é cada vez mais complicada para os políticos europeus. Vítor Gaspar tem uma missão ainda mais complicada, com o desemprego a aumentar de forma exponencial e a economia a contrair-se da mesma forma. Daí que se multipliquem as vozes contra a austeridade e a favor de um estímulo à economia. Em declarações ao The New York Times (NYT), proferidas há uma semana, mas só ontem publicadas no Dealbook, o ministro das Finanças diz que isso foi tentado em Portugal, "mas não resultou".

"Em 20008 foi tentada uma abordagem keynesiana, mas o resultado foi que ainda tornou as coisas piores", disse Vítor Gaspar ao jornal norte-americano, frisando que Portugal pode ser o exemplo de que "políticas expansionistas de curto-prazo podem ser contraproducentes". Para Vítor Gaspar, o pensamento de Keynes tem "algumas limitações"e que não leva inevitavelmente ao crescimento económico.

A grande luta de Portugal, diz Gaspar, é mesmo ganhar a confiança dos mercados. Com os juros ainda substancialmente mais altos do que os exigidos a Irlanda, Espanha e Itália, o ministro das Finanças adianta ao NYT que tais valores "não reflectem a actual situação".

Mas a verdade é que existe o receio de Portugal necessitar de um segundo resgate financeiro, já que poucos investidores acreditam que o país esteja em condições de regressar aos mercados em 2013. Mas, como disse Vítor Gaspar ao NYT, tal visão enferma de um problema: as reformas impostas pela troika são exactamente o que Portugal precisa e serão implementadas. Palavra de ministro, a braços com cerca de um milhão de desempregados numa população que cabe inteira na cidade de Nova Iorque...

Vítor Gaspar diz que abordagem à crise em 2008 só veio piorar a situação.

Opinião&Blogs
Esqueçam os ridículos descontos no IRS
Por  Sílvia de Oliveira
12:50
iTime. Está na hora de acordar, Apple   Por  Ana Rita Guerra
00:12
As lições económicas da copa   Por  João Almeida Moreira
03:35
Slideshows
Judeus e Árabes "recusam-se...