22/12/2014 | 16:17 | MOBILE | RSS
RSS
+-TEXTO

Por Nuno Aguiar

PUB
O economista belga elege a Alemanha como o maior perdedor com o fim da zona euro

Paul de Grauwe: "Os portugueses é que estão a pagar aos alemães"

Paul de Grauwe
D.R.
31/12/2011 | 00:00 |  Dinheiro Vivo

Paul de Grauwe tem uma visão diferente da crise da zona euro. São os contribuintes portugueses que estão a dar dinheiro aos alemães e não o contrário. Professor de Economia Internacional da Universidade Católica de Lovaina e conselheiro da Comissão Europeia, admite que Portugal nunca beneficiou realmente com o euro, mas desaconselha uma saída. Para o BCE não tem meias-palavras: ou são incompetentes ou estão a ser guiados por objectivos obscuros.

Em um ano, a zona euro estará mais integrada ou perto da separação?

É difícil saber. Estamos perante uma bifurcação. Podem acontecer duas coisas: uma implosão completa, com recessão e crises bancárias, ou os Estados membros e o BCE decidem fazer o mais correcto e evitam o colapso. Sou optimista; acredito no segundo cenário, mas não excluo o outro.

Mas o fim do euro é plausível?

A zona euro continua frágil e pode desintegrar-se, mas temos os meios para o evitar. Tudo depende do empenho de quem está no poder. Se colapsar é porque as pessoas em posições-chave o quiseram.

Um dos maiores especialistas na crise do euro considera que o caminho de austeridade seguido por Portugal está errado

Opinião&Blogs
A Rússia está ao rublo!
Por  Tiago Figueiredo Silva
16:36
Felizes contradições   Por  João Adelino Faria
08:41
Portugal é mexilhão   Por  Pedro Bidarra
00:01
Petrodólares   Por  Ricardo Reis