...
30/07/2014 | 22:15 | MOBILE | RSS
RSS
+-TEXTO

Por Dinheiro Vivo | Lusa

PUB
A chanceler alemã vai negociar com a oposição programas de crescimento para ver aprovado no Parlamento o Tratado Orçamental

Merkel vai promover programas de combate ao desemprego nos países do Sul da Europa

Mais uma dor de cabeça para a Alemanha
D.R.
27/03/2012 | 14:50 |  Dinheiro Vivo

A chanceler alemã, Angela Merkel, quer negociar com a oposição programas de crescimento e combate ao desemprego no sul da Europa, em troca do voto favorável ao Tratado Orçamental no parlamento, noticiou hoje o Sueddeutsche Zeitung.

A aprovação do tratado intergovernamental, que se destina a impor uma maior disciplina financeira nos países da moeda única, necessita de uma maioria de dois terços nas duas câmaras do parlamento alemão (Bundestag e Bundesrat), porque implica a cedência de direitos de soberania dos Estados subscritores.

A coligação democrata-cristã e liberal liderada por Merkel, que dispõe apenas de maioria absoluta no Bundestag, e perdeu, entretanto, a maioria no Bundesrat, só conseguirá esse desiderato com os votos favoráveis dos sociais-democratas do SPD e dos ambientalistas de os Verdes.

O ex-ministro das Finanças Peer Steinbrueck, do SPD, confirmou ao jornal Rheinische Post que o pacote negocial do seu partido para aprovar o Tratado Orçamental inclui, de facto, um programa de crescimento para países do euro menos competitivos e a braços com elevadas taxas de desemprego, além de um imposto sobre transações financeiras.

Merkel já deixou claro, no entanto, que não aceitará que o referido imposto seja implementado apenas em alguns países da União Europeia, e muito menos só na Alemanha.

A coligação democrata-cristã e liberal de Merkel precisa do apoio do SPD e dos Verdes para fazer aprovar o tratado fiscal

Opinião&Blogs
A América é que ganhou a Copa
Por  João Almeida Moreira
00:00
Esta apanhou-me na curva   Por  Ana Rita Guerra
00:00
O risco da improbabilidade   Por  Sílvia de Oliveira
02:46
Dignidade   Por  João Adelino Faria
Slideshows
Faixa de Gaza: mortos...