...
29/08/2014 | 09:00 | MOBILE | RSS
RSS
+-TEXTO

Por Dinheiro Vivo | Lusa

PUB
A chanceler alemã vai negociar com a oposição programas de crescimento para ver aprovado no Parlamento o Tratado Orçamental

Merkel vai promover programas de combate ao desemprego nos países do Sul da Europa

Mais uma dor de cabeça para a Alemanha
D.R.
27/03/2012 | 14:50 |  Dinheiro Vivo

A chanceler alemã, Angela Merkel, quer negociar com a oposição programas de crescimento e combate ao desemprego no sul da Europa, em troca do voto favorável ao Tratado Orçamental no parlamento, noticiou hoje o Sueddeutsche Zeitung.

A aprovação do tratado intergovernamental, que se destina a impor uma maior disciplina financeira nos países da moeda única, necessita de uma maioria de dois terços nas duas câmaras do parlamento alemão (Bundestag e Bundesrat), porque implica a cedência de direitos de soberania dos Estados subscritores.

A coligação democrata-cristã e liberal liderada por Merkel, que dispõe apenas de maioria absoluta no Bundestag, e perdeu, entretanto, a maioria no Bundesrat, só conseguirá esse desiderato com os votos favoráveis dos sociais-democratas do SPD e dos ambientalistas de os Verdes.

O ex-ministro das Finanças Peer Steinbrueck, do SPD, confirmou ao jornal Rheinische Post que o pacote negocial do seu partido para aprovar o Tratado Orçamental inclui, de facto, um programa de crescimento para países do euro menos competitivos e a braços com elevadas taxas de desemprego, além de um imposto sobre transações financeiras.

Merkel já deixou claro, no entanto, que não aceitará que o referido imposto seja implementado apenas em alguns países da União Europeia, e muito menos só na Alemanha.

Dado que vários países comunitários recusaram liminarmente taxar as transações financeiras, os programas de apoios ao crescimento económico na Grécia, Portugal e Espanha podem tornar-se assim o ponto fulcral das negociações entre o governo e a oposição alemães para fazer passar o Tratado Orçamental no Bundestag e no Bundesrat.

"A chanceler precisa do nosso apoio para aprovar o Tratado Orçamental, e por isso terá mesmo de falar connosco", disse Steinbrück, que tem feito ultimamente as principais intervenções do SPD no parlamento sobre assuntos financeiros.

Ainda segundo a imprensa local, o líder parlamentar democrata-cristão, Volker Kauder, já convidou os chefes das bancadas dos partidos da oposição para uma primeira reunião, na próxima semana, onde serão abordadas as grandes linhas de um eventual acordo, antes das votações do Tratado Orçamental no Bundestag e no Bundesrat, previsivelmente em junho.

A coligação democrata-cristã e liberal de Merkel precisa do apoio do SPD e dos Verdes para fazer aprovar o tratado fiscal

Opinião&Blogs
O Brasil do Manchetómetro
Por  João Almeida Moreira
15:57
01:46
Turistas nada acidentais   Por  Sérgio Figueiredo
00:00
Os anjos da saúde   Por  Tiago Figueiredo Silva
Slideshows
Ferguson: a violência...