...
02/08/2014 | 03:26 | MOBILE | RSS
RSS
+-TEXTO

Por Dinheiro Vivo | Lusa

PUB
Pedro Passos Coelho anunciou, há uma semana, mais medidas de austeridade para 2013. Social Democrata apela à reconsideração do Governo

Paulo Rangel: Aumento da TSU é um erro, o Governo deve reponderar

"País vive estado de necessidade"
D.R.
14/09/2012 | 15:48 |  Dinheiro Vivo

O social-democrata Paulo Rangel considerou hoje um "erro" o aumento da contribuição para a Segurança Social dos trabalhadores de 11 para 18 por cento e defende que o Governo precisa de "reponderar" as alterações na Taxa Social Única (TSU).

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, anunciou, há uma semana, mais medidas de austeridade para 2013, incluindo uma descida da TSU para as empresas compensada por um aumento das contribuições (do setor público e privado) para a Segurança Social.

"Fazer esta aparente transferência de rendimentos dos trabalhadores para as entidades patronais, que as próprias, aliás, acham que é errada, penso que é um erro, e que vai, não apenas ter os efeitos negativos que têm sido ditos, mas vai nas próprias empresas (...) criar um fator de alguma crispação também no ambiente empresarial", declarou Paulo Rangel, em declarações à Lusa.

" margem de um debate que está a decorrer hoje no Porto sobre "Federalismo Europeu: seguir em frente com o sonho europeu", o ex-candidato à liderança do PSD defendeu que o Governo "devia reponderar" a questão da TSU.

Paulo Rangel recordou que havia um "clima de cooperação muito positivo", porque entidades patronais e trabalhadores sabiam que ou se salvavam os dois ou se afundavam os dois", mas reiterou que é "um aspeto negativo" a mexida na Taxa Social Única.

O social-democrata Paulo Rangel considerou hoje um "erro" o aumento da contribuição para a Segurança Social

Opinião&Blogs
O lado bom de encolher a vida
Por  Sílvia de Oliveira
00:00
Banqueiros responsáveis   Por  Ricardo Reis
00:00
Bem-vindos a bordo!   Por  João Adelino Faria
00:00
O escaldão na Bolsa   Por  Tiago Figueiredo Silva