...
23/11/2014 | 18:24 | MOBILE | RSS
RSS
+-TEXTO

Por Nuno Aguiar

PUB
Os indicadores do Banco de Portugal apontam para uma contração menos drástica desde o início do ano

Queda do consumo abranda pela primeira vez desde maio de 2010

Vítor Gaspar, ministro das Finanças
José Carlos Pratas
23/03/2012 | 12:37 |  Dinheiro Vivo

O início do ano está a ser menos duro para a atividade económica e o consumo. Segundo os indicadores de conjuntura do Banco de Portugal, janeiro e fevereiro registaram uma desaceleração do ritmo de contração.

No mês passado, o indicador coincidente da atividade caiu 2,3%, depois de um recuo de 2,7% em janeiro e 3% em dezembro. Este último valor é um dos mais baixos de sempre e seguia uma tendência de degradação quase ininterrupta desde Junho de 2010.

O indicador junta, não só dados de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), como produção industrial, dados do mercado de trabalho, inquéritos aos consumidores e dados de compra de material para construção.

Quanto ao consumo, há também uma redução do ritmo de queda, a primeira desde maio de 2010 que, ainda assim, foi de 5,4%, o segundo valor mais elevado desde 1978.

O início do ano está registar uma redução do ritmo da queda da atividade económica e do consumo

Opinião&Blogs
É a Argentina que manda
Por  Tiago Figueiredo Silva
15:24
Fingir que não sabemos   Por  João Adelino Faria
13:10
Foi meu aluno   Por  Ricardo Reis
10:36
O povo gosta mesmo de arroz   Por  Pedro Bidarra