20/12/2014 | 22:13 | MOBILE | RSS
RSS
+-TEXTO

Por André Cabrita Mendes

PUB
No dia decisivo, a economia será o ponto central. A ligeira quebra no desemprego ajudou Obama na ponta final da campanha

O futuro da economia na América

Quais as visões de cada para a América?
D.R.
02/10/2012 | 16:43 |  Dinheiro Vivo

"É a economia, estúpido". A expressão começou por ser utilizada por James Carville, consultor político de Bill Clinton nas eleições de 1992, como forma de lembrar ao então candidato democrata qual deveria ser o assunto prioritário na sua agenda para conquistar eleitores.

A constante repetição da frase ajudou Clinton a manter-se focado no assunto que mais preocupava os norte-americanos levando-o a derrotar o presidente incumbente George Bush.

Barack Obama apostou no investimento para criar empregos e para promover o crescimento económico, aumentando os impostos para os mais ricos pelo caminho, e quer que as empresas norte-americanas apostem voltem a produzir em solo americano acenando-lhes com incentivos fiscais.

Na trincheira republicana, Mitt Romney pretende reduzir o défice e a despesa, menos impostos e menos regulação sobre temas tão sensíveis como Wall Street e o sector financeiro, e pretende um Governo mais pequeno, mais inteligente e mais eficiente.



Propostas de Barack Obama


Barack Obama apresenta como grande trunfo para a sua reeleição a criação de emprego. Segundo os democratas, a economia norte-americana perdia 800 mil empregos por mês antes da eleição do actual presidente mas actualmente o país assistiu a 30 meses consecutivos de criação de emprego, o equivalente a 4,6 milhões de postos de trabalho no sector privado.

1 - Salvar a indústria automóvel

O presidente Obama apresenta como grande trunfo o facto de não ter deixado morrer a indústria automóvel norte-americana, argumentando que 1 milhão de postos de trabalho foram salvos, que a indústria está a voltar à mó de cima criando empregos e que os empréstimos governamentais ao sector foram pagos antes do tempo.

2 - Reavivar a produção industrial

Barack Obama argumenta que a produção industrial no país criou mais de meio milhão de postos de trabalho desde Janeiro de 2010, sendo este o maior crescimento numa década.

3 - Made in America

Os democratas pretendem que as empresas norte-americanas criem mais postos de trabalho no país. Para alcançar este objetivo, Barak Obama pretende eliminar isenções fiscais às empresas que deslocalizam postos de trabalho e criar incentivos para as empresas voltarem a produzir em solo americano.

4 - Equidade no tratamento

Barack Obama defende que reformou Wall Street para que os americanos nunca mais tenham que pagar resgates aos grandes bancos.

5 - A regra Buffett

Barack Obama quer aplicar a regra Buffett, conforme defendida pelo multimilionário Warren Buffett, ou seja mais equidade nos impostos.

Os democratas pretendem que os mais ricos paguem mais impostos e que nenhuma agregado familiar com rendimentos superiores a um milhão de dólares anual pague uma percentagem menor de impostos do que uma família de classe média.

6 - Aumentar o investimento na classe média

O orçamento de Barack Obama pretende aumentar o investimento na educação, na produção e infrasestrutura reduzindo ao mesmo tempo a despesa para o valor mais baixo dos últimos 50 anos.

7 - Reduzir o défice em mais de 4 mil milhões na próxima década

Também os democratas pretendem reduzir a factura do Estado e o candidato democrata pretende reduzir o défice em mais de 4 biliões nos próximos dez anos, já incluido 1 bilião negociado anteriormente com os republicanos no Congresso.



Propostas de Mitt Romney


Mitt Romney apresenta um plano com cinco pontos para aumentar o número de postos de trabalho no país e o rendimento dos norte-americanos.

1 - Independência energética

O objectivo do candidato republicano aqui é "aumentar o acesso aos recursos energéticos domésticos" e terminar o pipeline Keystone XL que atravessa os Estados Unidos de Norte a Sul ligando o Canadá ao Golfo do México. Outra das medidas passa por eliminar a regulação que, segundo Romney, está a "destruir a indústria do carvão".

2 - Capacidades para ter sucesso

O antigo governador do Massachussetts pretende dar às famílias um maior acesso a boas escolas e a professores de qualidade; providenciar acesso a opções educativas que as famílias consigam sustentar e que sejam mais eficazes.

3 - Comércio que funciona para a América

Mitt Romney considera que os acordos comerciais assinados com a China são onerosos para o país e defende a sua alteração; pretende que os produtos americanos e os seus serviços entrem em cada vez mais mercados; quer reforçar os laços económicos com a América Latina; pretende criar a "Reagan Economic Zone" de forma a "reforçar a empresa livre em todo o mundo".

4 - Redução do défice

Tal como na Europa, a redução do défice tem estado na ordem do dia e a Casa dos Representantes esteve o ano passado em pé de guerra devido ao aumento do tecto da dívida que acabou por ser aprovado mas somente após meses de negociações.

O tecto acabou por ser aumentado para os 2,1 biliões de dólares mas os republicanos impuseram a redução das despesas federais em 2,4 biliões, com a legislação a ser aprovada somente um dia antes da data que poderia vir a colocar o país em default (incumprimento de pagamento).

Agora, os republicanos voltam à carga e querem mais cortes: Redução da despesa federal em 20%; atribuir mais responsabilidades aos estados; redução do orçamento em 5%; privatização da Amtrak, transportadora ferroviária; e a eliminação do plano de saúde de Obama, o Obamacare.

5 - Promoção do pequeno comércio

Os republicanos querem reduzir os impostos individuais e das empresas para criar emprego; eliminar a regulação crescente que está a levar a um aumento da fuga ao fisco; proteger as empresas e os trabalhadores das tácticas dos sindicatos; e substituir o Obamacare com "verdadeiras reformas na saúde" que controlam a despesa e melhoram o cuidado".

- Impostos

Romney pretende reduzir em 25% os impostos cobrados às empresas. Actualmente as empresas norte-americanas pagam 35% ao Estado. Para os trabalhadores individuais, o republicano quer uma redução de 20% das taxas marginais cobradas aos trabalhadores.

Conheça as visões económicas de Barack Obama e de Mitt Romney para os Estados Unidos da América para os próximos quatro anos

Opinião&Blogs
A Rússia está ao rublo!
Por  Tiago Figueiredo Silva
16:36
Felizes contradições   Por  João Adelino Faria
08:41
Portugal é mexilhão   Por  Pedro Bidarra
00:01
Petrodólares   Por  Ricardo Reis