...
18/09/2014 | 18:41 | MOBILE | RSS
RSS
+-TEXTO

Por Harvard Business Review

PUB
Chamar a atenção apenas quando se quer uma mudança ou uma promoção não é um erro, é uma pura perda de tempo

À procura de emprego? Aprenda com os políticos

Faça uma campanha permanente
D.R.
23/04/2012 | 23:00 |  Dinheiro Vivo

O trabalho de cuidar da sua imagem profissional é permanente: começa quando põe o pé na empresa, de manhã, e continua nas redes sociais. Torne-se visível ou... desapareça de vez.

As campanhas políticas costumavam ser períodos curtos e frenéticos antes de uma eleição - após os quais o candidato vencedor se entregava à tarefa nobre de governar. Mas nas últimas décadas, a política e a elaboração de políticas começaram a misturar-se. Os assessores políticos assumiram funções na Casa Branca, e as sondagens começaram a orientar a tomada de decisões - "A Campanha Permanente", como Sidney Blumenthal, jornalista (e mais tarde membro da equipa de Clinton), lhe chamou, de forma profética, no seu livro lançado em 1980.

O advento das notícias por cabo 24 horas por dia (e mais, da Internet) abriu uma grande boca escancarada, ávida por conteúdo. Os políticos sabiam que seriam dissecados constantemente, não apenas durante o período de campanha, com moderadores insaciáveis em programas tipo "Prós e Contras" que debatem quem está na crista da onda e quem vem por aí abaixo. A maioria das pessoas - até antigos operacionais políticos, como eu - concordam que isto é mau para a democracia. Mas os candidatos aceitaram isto como a nova normalidade e, com especialistas experientes nas equipas de relações públicas sempre disponíveis, acabaram por se contentar.

Contudo, o problema real não é o impacto sobre os políticos.

É o facto de também se esperar que todas as outras pessoas - incluindo os profissionais normais - façam uma manutenção constante da marca pessoal, e a maioria delas nem sequer se apercebe.

Certo, provavelmente têm uma conta no Facebook e poderão até estar no Twitter. Mas não reconhecem que estas já não são ferramentas de comunicação pessoais, ou um meio de fortalecer laços fracos mas usadas como redes de conhecimentos. Na verdade, são critérios pelos quais serão avaliados no futuro. Da mesma forma que Michael Deaver assegurou que Ronald Reagan aparecesse sempre à frente de um cenário perfeito e pitoresco - e definiu a norma para todos os líderes subsequentes - você é agora responsável por cuidar da sua imagem.

Avançar com a sua marca pessoal requer vigilância constante. Quais são as suas estratégias de campanha?

Opinião&Blogs
Eleições em modo Kill Bill
Por  João Almeida Moreira
02:28
Quem tem tromba é o elefante   Por  Joana Petiz
23:52
A imigração segundo o Conde de Gouvarinho   Por  Sérgio Figueiredo
00:00
Levantar a cabeça   Por  João Adelino Faria
Slideshows