...
02/08/2014 | 05:29 | MOBILE | RSS
RSS
+-TEXTO

Por Dinheiro Vivo | Lusa

PUB
Cartão de descontos acumula dois euros por cada 30 euros de compras nos supermercados Pingo Doce

Pingo Doce lança cartão "Poupa Mais" em parceria com BP

Vendas do Pingo Doce aumentam 2,3%
D.R.
21/03/2013 | 09:23 |  Dinheiro Vivo

O Pingo Doce lança hoje o cartão de descontos "Poupa Mais" em parceria com a gasolineira BP, que dará dois euros de descontos em combustível por cada 30 euros de compras nos supermercados.

"Iniciámos esta parceria com a BP através da emissão de talões", explica a diretora de marketing do Pingo Doce, Vanessa Silva, mas "não tinha a facilidade de acumulação." O cartão Poupa Mais vai resolver isso.

Com a parceria, o Pingo Doce entra "com um cartão no mercado onde já existem outros cartões de outras marcas com forte expressão e presença", disse a responsável. A oferta da cadeia será diferenciada através de um modelo que dá "desconto imediato e apresenta uma simplicidade" na sua utilização. O cliente pode optar por usar logo o valor carregado ou acumular e utilizar mais tarde nos postos da BP.

Não haverá limite sobre os valores acumulados, mas o período de acumulação é de dois meses. O Pingo Doce resistiu à introdução de um cartão, da mesma forma que antes não fazia promoções e no ano passado acabou por adicionar "uma mecânica promocional sobre os preços, que já eram baixos". A responsável diz que "o mercado é evolutivo" e que "as famílias portuguesas estão a passar condições difíceis".

O Pingo Doce considerou por isso que "era necessário alargar a oferta a outros bens de consumo", sendo que os combustíveis foram escolhidos por que têm um peso no orçamento familiar. As parcerias podem não ficar por aqui, no que toca a cartões de desconto.

Pingo Doce não descarta mais parcerias na área dos descontos e considera que este cartão é único em Portugal

Opinião&Blogs
O lado bom de encolher a vida
Por  Sílvia de Oliveira
00:00
Banqueiros responsáveis   Por  Ricardo Reis
00:00
Bem-vindos a bordo!   Por  João Adelino Faria
00:00
O escaldão na Bolsa   Por  Tiago Figueiredo Silva