...
01/08/2014 | 08:47 | MOBILE | RSS
RSS
+-TEXTO

Por Dinheiro Vivo | Lusa

PUB
O vice-presidente da TAP, Luiz Mór, acredita que a privatização não colocará em causa o 'hub' em Lisboa

Privatização: TAP acredita que será possível manter centro de operações em Lisboa

20/09/2011 | 14:08 |  Dinheiro Vivo

O vice-presidente da TAP acredita que a companhia aérea manterá o 'hub' em Lisboa, após a privatização e afirma ser um "anacronismo" subsidiar transportadoras 'low cost' para operarem em aeroportos centrais.

Numa entrevista publicada no jornal da TAP, Luiz Mór recorda que o ministro da Economia "já afirmou que a privatização [da TAP] será feita mantendo o 'hub' [centro de operações] em Lisboa" e afirma ter "perfeita convição" de que isso será possível.

A manutenção do 'hub' da TAP em Lisboa, argumenta, pode constituir uma oportunidade de crescimento e de fortalecimento da empresa, "servindo Portugal e o mundo lusófono". "Não consigo imaginar uma lusofonia com capital em Madrid", salienta o vice-presidente da TAP.

Questionado sobre a possível criação de uma base para as companhias 'low cost', Luiz Mór afirma ser uma "posição que distorce a concorrência". "Consideramos que deve ser reequacionada a eventual cedência do Terminal 2 [do Aeroporto de Lisboa] em exclusivo às low cost, aplicando taxas inferiores às do Terminal 1", disse.

O vice-presidente da TAP afirma que a companhia está no Terminal 2 desde a sua abertura e sempre pagou o mesmo que no Terminal 1, o que considera ser "injustificado, também porque a capacidade do aeroporto de Lisboa deverá estar esgotada, pelos números da ANA [gestora dos aeroportos portugueses], em 2013".

Para o vice-presidente da TAP "a ideia de subsidiar as 'low cost' para operarem em aeroportos centrais é um anacronismo"

Opinião&Blogs
A vida social de Vítor Bento
Por  Sílvia de Oliveira
00:00
A América é que ganhou a Copa   Por  João Almeida Moreira
00:00
Esta apanhou-me na curva   Por  Ana Rita Guerra
00:00
O risco da improbabilidade   Por  Sílvia de Oliveira
Slideshows
Faixa de Gaza: mortos...