...
27/08/2014 | 15:53 | MOBILE | RSS
RSS
+-TEXTO

Por Erika Nunes

PUB
Negociaram a renda para um décimo do valor inicial e montaram a empresa de eventos em quatro meses, com um investimento de 350 mil euros

Viver o melhor do Norte em apenas um dia

Paulo e Catarina na Ribeira de Gaia
José Mota
08/06/2012 | 23:00 |  Dinheiro Vivo

Bancário há 23 anos, Paulo Granjo há muito ansiava por um novo desafio, que concretizou agora com os amigos e sócios José Manuel Pinto, proprietário do restaurante Tripeiro, Carlos Oliveira, animador apaixonado pela história do Porto, e Catarina Mendonça, especialista em marketing. Cada um investiu entre cinco e cem mil euros, à medida do que queria e podia, conseguindo "fugir a financiamentos bancários". Desde o início da empresa Happy Discover, em fevereiro, mais sócios quiseram entrar no negócio - desde o construtor que reabilitou o local onde tudo se vai passar ao fornecedor de mesas e cadeiras - e são já uma dezena a dividir o investimento inicial de 350 mil euros.

"A Herança Magna é um evento permanente, nos antigos armazéns recuperados a 20 metros do Cais de Gaia, em que o turista consegue ter contacto com tudo o que procura no Norte em apenas três horas", resume o empresário que teve a preocupação de não cobrar bilhete a crianças até aos 12 anos, para manter o evento acessível.

Por 38 euros, o visitante tem tudo incluído e sem limites. Há música, cavaquinho, à chegada, provas de vinho do Porto, loja de souvenirs, uma exposição com painéis alusivos ao que é típico da região (azulejos, o Douro, o fado, as festas de São João, etc.), um jantar típico acompanhado de fado e animação e, por fim, a peça de teatro A Lenda do Rei Ramiro.

"O turista low cost que vem ao Porto e só tem um dia para conhecer a cidade ou a região, ou o viajante de negócios que tem uma reunião à tarde e só se vai embora no dia seguinte de manhã, tem aqui a oportunidade de experimentar a alma da região num conceito que não existia", adianta Catarina Mendonça, que diz só ter tido boas reações em todas as parcerias propostas - desde a autarquia ao Instituto do Emprego e Formação Profissional, passando pelos 80 hotéis da cidade e operadores turísticos que levarão os turistas ao evento.

A duas semanas da inauguração - marcada para 22 de junho - a equipa está composta, com 20 funcionários permanentes (excluindo gestores), dos quais 16 foram contratados há um mês com o apoio da medida Estímulo 2012. Falta apenas terminar as obras, recordes, quer em tempo quer em dinheiro. "Se Portugal fosse gerido como a nossa empresa, éramos ricos", diz Paulo Granjo. "Negociamos tudo até à agulha e não dormimos há três meses, pois todos temos outros empregos e fazemos isto no tempo que resta. Agora só queremos arrancar para podermos descansar", desabafa Catarina Mendonça que, mesmo cansada, não se desmotiva.

O projeto de Paulo e Catarina é inaugurado dia 22 deste mês

Opinião&Blogs
O Brasil do Manchetómetro
Por  João Almeida Moreira
15:57
01:46
Turistas nada acidentais   Por  Sérgio Figueiredo
00:00
Os anjos da saúde   Por  Tiago Figueiredo Silva
Slideshows
Ferguson: a violência...