...
02/09/2014 | 22:18 | MOBILE | RSS
RSS
+-TEXTO

Por Dinheiro Vivo

PUB
Investir em acções não é, actualmente, muito apelativo. Mas se o fizer, há regras a seguir para evitar surpresas.

10 dicas para iniciados na Bolsa

PSI 20 teve a pior prestação europeia
D.R.
16/01/2012 | 12:46 |  Dinheiro Vivo

É verdade que este não é o mehor momento para se pensar e investimentos bolsistas. Com os mercados financeiros à beira de um ataque de nervos, investir em acções pode parecer algo de bastante arriscado. Ainda mais se for um principiante prestes a mergulhar num tanque repleto de tubarões. Por isso, há algumas regras básicas que o podem prevenir de (grandes) amargos de boca, como dizem os especialistas.

1. Seja realista. Investir na bolsa não quer dizer que no espaço de um mês vai dobrar o seu dinheiro. Há alguns sites que lhe prometem este milagre, mas a verdade é que o sucesso nesta área advém da paciência, da aprendizagem contínua e de se ter uma atitude racional. Um objectivo de actual de 10 a 15% de lucro fará de si um investidor de sucesso. Para colocar isto em perspectiva lembre-se que lendas dos mercados, como Peter Lynch ou Ben Graham, conseguiram ganhos de 20 a 30% durante as suas carreiras.

2. Invista no que conhece. É fundamental que perceba ou esteja a para do sector em que vai investir. Para Warren Buffett a isto chama-se o "círculo da competência". Um bom exemplo pode ser o investimento no sector em que já trabalha.

3. Apostar no longo prazo. Warren Buffett, o Oráculo de Omaha, aconselha a que só se compre algo que se possa manter, mesmo que o mercado feche por dez anos. É verdade que a adrenalina dos negócios diários pode ser muito cativantes, mas o retorno só é visível quando a aposta está no longo-prazo.

4. Saiba quando vender. Se bem que, em teoria, seria bom manter sempre as acções de uma empresa, a verdade é que a questão a que um investidor principiante deve estar apto a responder é "quando vender". É muito fácil ficar ligado às empresas em que investe, mas isso também o pode impedir de dar atenção aos sinais de problemas.

5. Tire vantagens das flutuações dos mercados. Nunca venda as suas acções como um impulso, reagindo a um qualquer movimento de pânico, apenas porque os mercados estão em queda. Na maioria dos casos, são situações passageiras. Aliás, estes momentos são até bons para comprar a bom preço e com um bom retorno mais à frente. Claro que num movimento contrário, em que determinadas acções sobem a valores bem mais elevados do que os pagos inicialmente, será um bom momento para vender.

É verdade que este não é o mehor momento para se pensar e investimentos bolsistas. Com os mercados financeiros à beira de um ataque de nervos, investir em acções pode parecer algo de bastante arriscado. Ainda mais se for um principiante prestes a mergulhar num tanque repleto de tubarões. Por isso, há algumas regras básicas que o podem prevenir de (grandes) amargos de boca, como dizem os especialistas.

Opinião&Blogs
O BES Angola é banco bom ou banco mau?
Por  Ricardo Reis
00:00
Suicídio   Por  João Adelino Faria
00:00
A chamada das euforias   Por  Tiago Figueiredo Silva
00:00
Quando o nevoeiro passar   Por  Joana Petiz
Slideshows