economia internacional

Banco Mundial duplica pacote de apoio a Angola

A carregar player...

Financiamento da instituição a Luanda soma agora 2,52 mil milhões de dólares.

São mais 1,32 mil milhões de dólares, que elevam para um total de 2,52 mil milhões o pacote financeiro total aprovado para Angola. O Banco Mundial deu seguimento à operação esta tarde, explicando que aquele valor agora aprovado será aplicado “em três iniciativas estruturantes do Executivo, nomeadamente o projeto de fortalecimento do Sistema de Proteção Social (320 milhões de dólares); a operação de Apoio Orçamental (500 milhões); e o projecto Bita (Energia e Águas) 500 milhões”.

A notícia foi recebida com entusiasmo pelo ministro das Finanças angolano, Archer Mangueira, que se congratulou com o apoio do Banco Mundial e destacou “a importância e os objetivos centrais de cada um dos projetos” que irão beneficiar do referido financiamento.

 

Com potencial para chegar a um milhão de famílias, o primeiro projeto financiado pela instituição com sede em Washington “inscreve-se na política de transferência de rendimento, para proteger as famílias com menores rendimentos” e tem por objetivo mitigar o “impacto das reformas dos subsídios no poder de compra dos consumidores, como consequência de curto prazo do ajustamento de preços de bens e serviços como as tarifas de luz, água e combustíveis”. De acordo com o titular da pasta das Finanças, os dois outros encontram sentido no “apoio às reformas económicas em curso” na economia angolana — incluindo, a par dos recursos financeiros, o conhecimento técnico do Banco Mundial “para conferir sustentabilidade ao processo de ajustamento e transformação económica do país e protegendo a população mais vulnerável” –, mas também na melhoria da “performance operacional e económica do setor da energia e águas, aumentando o acesso de famílias e empresas à água potável em algumas áreas densamente povoadas a sul de Luanda”.

Com o financiamento aprovado para estes três projetos, o Banco Mundial praticamente duplica o portefólio de apoios a Angola. “É uma oportunidade para embarcar e promover Angola como um país com uma nova direção e renovadas oportunidades”, justificou ainda antes da divulgação da aprovação o Banco Mundial nesta terça-feira, em que se assinala o Dia de Angola.

Amanhã, ao lado da África do Sul e da Nigéria, Luanda organiza um fórum sobre o segundo maior produtor de petróleo na África subsaariana, onde intervirão o economista sénior do Banco Mundial Gerard Kambou, no qual responsáveis do Ministério do Turismo falarão também sobre as oportunidades neste setor, adianta a Lusa.

O apoio de Angola para projetos no domínio da agricultura, condições sociais, água e energia foi solicitado em março deste ano e em maio uma delegação dos diretores executivos do Banco Mundial deslocou-se ao país para analisar as reformas levadas a cabo pelo governo. Na altura, o diretor executivo da instituição, Fábio Kantczuk, manifestou-se muito impressionado com a política económica que o país está a seguir, no final de uma audiência com o presidente João Lourenço.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Emmanuel Macron, Pedro Sanchez, Angela Merkel, Donald Tusk, Jair Bolsonaro e Mauricio no G20 de Osaka, Japão, 29 de junho de 2019. Fotografia: REUTERS/Jorge Silva

Vírus da guerra comercial já contamina acordo entre Europa e Mercosul

Fotografia: Armando Babani/ EPA.

Sindicato do pessoal de voo lamenta “não atuação do Governo” na Ryanair

O presidente da China, Xi Jinping, fez uma visita de Estado a Portugal no final de 2018. Fotografia: Filipe Amorim/Global Imagens

Angola e China arrastam exportações portuguesas. Alemanha e Itália ainda não

Outros conteúdos GMG
Banco Mundial duplica pacote de apoio a Angola