Luanda

Privatizações em Angola “não vão eliminar mas sim gerar empregos”

João Lourenço, Presidente de Angola. Fotografia: ESTELA SILVA/LUSA
João Lourenço, Presidente de Angola. Fotografia: ESTELA SILVA/LUSA

Coordenador do grupo técnico do Programa de Privatizações explica as vantagens de privatizar.

Nem postos de trabalho nem a soberania angolana em risco. Na verdade, as privatizações decididas pelo governo de João Lourenço vão gerar emprego, trazer ganhos de eficiência às empresas e aumentar os rendimentos das famílias. Quem o garante é Patrício Vilar, coordenador do grupo técnico do Programa de Privatizações.

“Dizer que as privatizações vão prejudicar ou pôr em causa os empregos é um mito, porque maior parte das empresas a serem privatizadas, com participações minoritárias do Estado, já são geridas pelo setor privado”, afirmou, citado pela agência de notícias angolana Angop. Sublinhando que as privatizações são “o início de um processo para dar maior eficiência às empresas e à economia nacional”, defendeu ser esse o passo fundamental “para que, através do crescimento da economia, se possa garantir empregos bem remunerados e sólidos”.

“Não faz nenhum sentido que o Estado tenha participações em empresas que podem ser autónomas ou geridas por si próprias”, sublinhou Patrício Vilar.

Leia aqui a notícia original

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
EPA/MICHAEL REYNOLDS

Ação climática. Portugal vai ter de gastar mais de um bilião de euros

Quartel da Graça, em Lisboa. (Fotografia: D.R.)

Revive: Sete hoteleiros na corrida para transformar o Quartel da Graça

Thomas Cook era a agência turística mais antiga do mundo. ( EPA/ARMANDO BABANI)

Thomas Cook declarou falência. 600 mil turistas procuram solução

Outros conteúdos GMG
Privatizações em Angola “não vão eliminar mas sim gerar empregos”