Automóvel

Grupo PSA compra posição maioritária em empresa portuguesa de peças para carros

Carlos Tavares, presidente executivo do grupo PSA. (EPA/CHRISTOPHE PETIT)
Carlos Tavares, presidente executivo do grupo PSA. (EPA/CHRISTOPHE PETIT)

Capital de risco pública vendeu a participação que tinha na B-Parts ao grupo automóvel que detém marcas como a Peugeot, Citroën e Opel.

O grupo PSA, grupo automóvel que tem marcas como Peugeot, Citroën, e Opel, comprou uma participação maioritária na empresa portuguesa B-Parts, que vende online peças usadas e testadas para a sua reutilização. A Portugal Ventures, sociedade pública de capital de risco, foi um dos investidores que vendeu a sua participação. O valor da operção não é conhecido.

“A Portugal Ventures anuncia a aquisição da maioria do capital da B-Parts pelo Groupe PSA, multinacional francesa que detém marcas como a Peugeot, Citroën, DS, Opel e Vauxhall, tornando o Groupe PSA no primeiro construtor automóvel a entrar no mercado das peças usadas. Com esta operação, a Portugal Ventures cumpre a sua missão enquanto operador de capital de risco que investe a prazo em projetos de base tecnológica, com o objetivo de os preparar para o mercado global, tornando os seus negócios atrativos para líderes de mercado internacionais”, pode ler-se no comunicado da capital de risco.

A B-Parts vende através da internet peças de automóveis usadas, oriundas de veículos acidentados, mas que foram alvo de testes para a sua reutilização. A empresa portuguesa exporta para todo o mundo. Luís Sousa Vieira e Manuel Araújo Monteiro, administradores da B-Parts, em comunicado, explicam que, desde 2014, aquando do investimento da Portugal Ventures, que a firma tem registado “um forte crescimento contínuo, nunca inferior a três dígitos ao ano e com uma forte componente de exportação de 70%”.

“A aquisição da maioria do capital pelo Grupo PSA é sem dúvida um marco histórico para a empresa e um reconhecimento do trabalho que toda a nossa equipa desenvolveu. A equipa da B-Parts acompanhou a evolução do sector da reutilização de peças automóveis estabelecendo parcerias com Centros de Abate de 5 Países Europeus, disponibilizando assim o produto de forma organizada e pro-activa em mais de 65 Países, com forte preponderância no mercado europeu, canal B2B e B2C. Com a entrada da PSA, toda a dinâmica operacional e cultura da empresa será preservada”, acrescentam.

Já João Pereira, Investment Director da área de Digital da capital de risco pública sinaliza que a B-Parts “construiu um negócio de crescimento acelerado em mercados internacionais, com metas ambiciosas, bem definidas e alcançáveis. Estamos a presenciar um momento histórico com o primeiro caso de um construtor automóvel a adquirir uma empresa cujo core business é o comércio online de peças usadas. Confirma-se a estratégia de investimento da Portugal Ventures, que privilegia a digitalização, a ambição global e a adoção de modelos de negócio inovadores, como o da economia circular”.

Rui Ferreira, Vice-Presidente da Portugal Ventures acrescentou que “O exit da B-Parts enquadra-se num dos três objetivos estratégicos que a atual equipa de gestão da Portugal Ventures definiu para o mandato de 2018-2020, no sentido de criar condições de desinvestimento nas empresas do portefólio, por forma
a gerar rentabilidade atrativa para os fundos atualmente sob gestão e criar condições para uma liquidação dos fundos em final de vida adequadas para os seus diversos participantes, em função das suas especificidades e natureza”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gerardo Santos/Global Imagens

Economia portuguesa afunda 16,3% entre abril e junho

Visitantes na Festa do Avante.

Avante!: PCP reduz lotação a um terço, só vão entrar até 33 mil pessoas por dia

covid 19 portugal casos coronavirus DGS

Mais 235 infetados e duas mortes por covid-19 em Portugal. Números baixam

Grupo PSA compra posição maioritária em empresa portuguesa de peças para carros