António Saraiva

Presidente da Confederação Empresarial de Portugal

António Saraiva

Governação económica da Europa finalmente em debate

Tem sido justamente reconhecido o contraste da resposta da União Europeia à presente crise, relativamente ao que foi a muito deficiente gestão da crise anterior. De facto, na longa crise de 2008/2014, o próprio Banco Central Europeu, cuja atuação foi considerada crucial para evitar o colapso da zona do euro, tardou em reagir adequadamente às circunstâncias. Só no verão de 2012 o simbólico "whatever it takes" de Draghi marcou irreversivelmente o início do fim na crise do euro.
Desta vez, a União Europeia soube criar, na esfera monetária como na orçamental, condições - não ideais, mas certamente favoráveis - para ultrapassar, em comum, um desafio sem precedentes. Entre essas condições esteve a derrogação das regras orçamentais, acionada logo em março de 2020, que veio permitir a indispensável margem de manobra para suportar uma resposta eficaz à pandemia e ao seu impacto económico.