Dinheiro

Notas e moedas em risco de desaparecer na Suécia

Estocolmo

Excesso de pagamentos digitais levou a uma crise de circulação monetária que pode levar, em último caso, ao desaparecimento das coroas suecas.

Caso a situação não seja revertida num futuro breve, as coroas suecas podem deixar de existir, no seu formato físico. As notas e moedas em circulação naquele país estão a cair a pique desde 2008.

Segundo dados revelados pela Bloomberg, o uso do dinheiro físico está em níveis que remontam a 1990. A justificação é simples: a esmagadora maioria dos consumidores, lojas, museus, instituições e restaurantes prefere o pagamento pela via digital e alguns destes estabelecimentos não aceitam sequer que as transações sejam feitas em cash (dinheiro).

asdasda

Esta mentalidade está a dar início a um tipo de crise nunca antes vista, o que levou o Banco Central da Suécia, o Riksbank, a elaborar um relatório com as consequências desta tendência e a emitir um alerta nacional.

“Se o dinheiro for reduzido com muita rapidez, será difícil manter a infraestrutura financeira”, explicou à Bloomberg o líder da revisão parlamentar, Mats Dillen, acrescentando que, caso a tendência se mantenha, o sistema financeiro sueco vai enfrentar uma série de consequências negativas que, em último caso, podem levar as notas e moedas em circulação a desaparecer por completo.

Também na sequência desta crise está a ideia de criar a “ekrona”, uma moeda digital do país. Ao Financial Times, a governadora do Riksbank, Cecilia Skingsley, deixou em aberto a criação de uma moeda virtual sueca que, a concretizar-se, entrará no mercado num espaço de dois anos e que, segundo as previsões do supervisor, poderá ajudar a contornar o problema.

 

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
16. Empregados de mesa

Oferta de emprego em alta no verão segura aumento de salários

Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (Fotografia: José Coelho/ Lusa)

Marcelo aprova compra do SIRESP. Governo fica com “acrescidas responsabilidades”

draghi bce bancos juros taxas

BCE volta a Sintra para o último Fórum com Draghi na liderança

Outros conteúdos GMG
Notas e moedas em risco de desaparecer na Suécia