Resultados

Lucro do BCP sobe mais de 70% para 85 milhões

Nuno Amado, CEO do Millennium bcp. REUTERS/Rafael Marchante
Nuno Amado, CEO do Millennium bcp. REUTERS/Rafael Marchante

O banco apresentou uma redução "significativa" na exposição a ativos problemáticos.

O BCP aumentou o lucro para 85,6 milhões de euros nos primeiros três meses de 2018, uma subida de mais de 70% face ao mesmo período do ano anterior. Nuno Amado, o presidente do banco, justificou a melhoria dos resultados com o crescimento da atividade em Portugal e com a “redução significativa” das exposições não produtivas.

Essa exposição a ativos problemáticos desceu “cerca de 500 milhões face ao final de 2017 para 6,3 mil milhões em Portugal”, indicou o banco na apresentação dos resultados trimestrais. Além da redução do peso do malparado e de outros ativos não produtivos, o banco liderado por Nuno Amado destacou a melhor evolução do negócio em Portugal.

O banco indicou que a atividade doméstica teve um “contributo de 44,5 milhões nos primeiros três meses de 2018, comparando com nove milhões no mesmo período de 2017”.

Imparidades e provisões descem mais de um terço

A melhoria do resultado líquido foi conseguida sobretudo com as menores imparidades e com o aumento da marem financeira e comissões. As imparidades e provisões desceram mais de 36% para cerca de 130 milhões de euros, menos 73 milhões que no período homólogo.

Nuno Amado disse, na conferência de imprensa dos resultados, que estamos “a caminho da normalização” no que diz respeito às imparidades.

Já a margem financeira, a nível consolidado, subiu 12,5 milhões para 344,8 milhões (um aumento de 3,8%). As comissões deram também uma ajuda aos resultados. Aumentaram, também a nível consolidado, 4,4%, o equivalente a sete milhões de euros, para 167,8 milhões de euros. Na atividade em Portugal, as comissões aumentaram na mesma proporção, de 108,2 milhões para 113 milhões.

Já os custos subiram 3,2% para 246 milhões. Apesar disso, o BCP considerou, na apresentação, que o rácio que mede a sua eficiência é melhor que o do setor.

Atualizada às 17:20

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ensino profissional é uma das áreas em que Portugal se posiciona pior na tabela do IMD World Talent Ranking 2019. Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal é 23º no ranking mundial de talento. Caiu seis posições

O ensino profissional é uma das áreas em que Portugal se posiciona pior na tabela do IMD World Talent Ranking 2019. Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal é 23º no ranking mundial de talento. Caiu seis posições

Foto: D.R.

TAP soma prejuízos de 111 milhões até setembro. E vai contratar mais 800 pessoas

Outros conteúdos GMG
Lucro do BCP sobe mais de 70% para 85 milhões