banca

Caixa Geral de Depósitos cumpre rácios de capital do BCE para 2020

Paulo Macedo presidente executivo da Caixa Geral de Depósitos

(Orlando Almeida / Global Imagens)
Paulo Macedo presidente executivo da Caixa Geral de Depósitos (Orlando Almeida / Global Imagens)

No final de setembro deste ano, o rácio CET1 era de 15,65%, o Tier 1 era de 16,70% e o Total era de 18,01%.

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) cumpre atualmente os rácios de capital requeridos pelo Banco Central Europeu (BCE) para 2020, anunciou hoje o banco público.

“Considerando os rácios da CGD em 30 de setembro de 2019, são já cumpridos, com uma significativa margem, todos os novos rácios mínimos exigidos em matéria de CET1 (Common Equity Tier 1), Tier 1 e Rácio Total”, pode ler-se num comunicado hoje enviado pela CGD à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

No final de setembro deste ano, o rácio CET1 era de 15,65%, o Tier 1 era de 16,70% e o Total era de 18,01%, sendo os requisitos do BCE, ‘phased in’, para 2020, de 10,00%, 11,50% e 13,50%, respetivamente, e ‘fully loaded’ de 10,25%, 11,75% e 13,75%, respetivamente.

De acordo com a CGD, as ‘almofadas’ (buffers) de capital incluídas nos requisitos do BCE incluem a reserva de conservação de fundos próprios (2,5%), a contracíclica (0%) e a reserva para ‘outras instituições de importância sistémica’ (0,75%, convergindo para 1% em 2021).

“O requisito de Pilar 2 para a CGD em 2020 é de 2,25%, o que representa uma manutenção face a 2019. Se considerado o Pilar 2 Guidance definido pelo BCE para 2020, a exigência dos rácios da CGD permanece inalterada face a 2019”, refere ainda a instituição liderada por Paulo Macedo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O presidente do Novo Banco, António Ramalho, discursa na cerimónia de lançamento do Projeto de Divulgação Cultural do Novo Banco. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Banca custou ao Estado mais 1,5 mil milhões de euros em 2019, agora ajude

coronavirus portugal antonio costa

Proibidos ajuntamentos com mais de cinco pessoas. Aeroportos encerrados

O primeiro-ministro, António Costa, fala aos jornalistas no final da reunião do Conselho de Ministros após a Assembleia da República ter aprovado o decreto do Presidente da República que prolonga o estado de emergência até ao final do dia 17 de abril para combater a pandemia da covid-19, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, 2 de abril de 2020. 
 MÁRIO CRUZ/POOL/LUSA

Mapa de férias pode ser aprovado e afixado mais tarde do que o habitual

Caixa Geral de Depósitos cumpre rácios de capital do BCE para 2020