aquisições

Abanca aumenta faturação em 6.500 ME ao comprar Deutsche Bank Portugal

Fotografia: DR
Fotografia: DR

O negócio comprado em Portugal tem 41 agências comerciais, distribuídas pelas principais cidades do país, em particular em Lisboa e no Porto.

O banco espanhol Abanca aumenta o seu negócio de retalho em 6.500 milhões de euros depois de ter comprado a unidade de banca de retalho em Portugal do Deutsche Bank.

Numa informação enviada à Comissão Nacional do Mercado de Valores (CNMV) espanhola, o Abanca sublinha que a operação lhe vai permitir “aumentar o seu negócio internacional e ganhar presença no segmento de banca pessoal e privada”, áreas em que o Deutsche Bank PCC Portugal é especializado.

A compra vai possibilitar uma melhoria de 20,0% das receitas das comissões do Abanca, que não revela o valor total da operação.

O negócio comprado em Portugal tem 41 agências comerciais, distribuídas pelas principais cidades do país, em particular em Lisboa e no Porto, incluindo quatro centros de investimento e duas agências de banca privada.

O Deutsche Bank PCC Portugal tem uma carteira creditícia bruta de 2.400 milhões de euros, 1.000 milhões de euros em depósitos e 3.100 milhões euros fora do balanço, números que lhe permitem ter um volume de negócios de 6.500 milhões de euros.

O banco tem 330 empregados e 100 agentes externos que fazem a gestão do negócio em Portugal de cerca de 50.000 clientes.

A compra formalizada hoje vai permitir ao Abanca “reforçar” a sua presença em Portugal, principalmente nas áreas das empresas e seguros.

O Deutsche Bank PCC Portugal começou a trabalhar no mercado português em 1978 como banco de particulares e com uma atenção especial aos clientes de banca privada com um poder adquisitivo médio-alto.

O banco espanhol indica que a operação de compra será finalizada no primeiro semestre de 2019, depois de receber todas as autorizações e concluída a integração tecnológica.

“O Abanca vai-se reforçar num mercado como o português onde são esperados crescimentos positivos nos próximos anos, acompanhados por uma recuperação do emprego”, conclui a informação enviada.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Utentes à saída de um cacilheiro da Transtejo/Soflusa proveniente de Lisboa, em Cacilhas, Almada. MÁRIO CRUZ/LUSA

Salário médio nas empresas em lay-off simplificado caiu 2%

Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. Fotografia: António Cotrim/Lusa

Empresas já podem candidatar-se ao novo lay-off

App TikTok

Microsoft estará interessada na compra da operação global do TikTok

Abanca aumenta faturação em 6.500 ME ao comprar Deutsche Bank Portugal