Montepio

Montepio: adversários realçam perda de maioria de Tomás Correia na Mutualista

Tomás Correia, presidente da Associação Mutualista do Montepio.
( Gustavo Bom / Global Imagens )
Tomás Correia, presidente da Associação Mutualista do Montepio. ( Gustavo Bom / Global Imagens )

Tomás Correia as eleições da Associação Mutualista Montepio, à frente da lista A, com 43,2% dos votos.

As listas B e C que perderam as eleições para a Associação Mutualista Montepio Geral (AMMG)sublinharam hoje que, pela primeira vez, o presidente reeleito Tomás Correia deixou de contar com o apoio da maioria dos associados.

“É politicamente relevante o facto de pela primeira vez a Lista A ter tido menos votos do que a soma dos votos das listas opositoras: isto quer dizer que Tomás Correia já não conta com o apoio expresso eleitoralmente da maioria dos associados da AMMG e deveria tirar consequências desse facto”, avança em comunicado a Lista C, liderada por António Godinho.

Considerando “verdadeiramente extraordinário” o resultado obtido “tendo em conta todas as condicionantes conhecidas do processo eleitoral”, a Lista C ficou “apenas a 6,8 pontos percentuais da lista de Tomás Correia”, sublinha.

“Estas eleições não foram nem justas, nem democráticas”, acrescenta a Lista C, afirmando que “entre as várias irregularidades” está o fato de “a comissão eleitoral ser composta maioritariamente” por membros da lista vencedora.

Por sua vez, a Lista B de Fernando Mendes Ribeiro salienta em comunicado que a participação dos associados “registou uma das taxas mais baixas de sempre, de menos de 10% do corpo eleitoral, o que constitui manifestação incontornável da desconfiança que está instalada no Montepio”.

“A lista vencedora das eleições obteve maioria relativa que sinaliza a extensão do sentimento de rejeição da atual liderança, partilhado pela esmagadora maioria dos votantes”, afirma a lista de Ribeiro Mendes.

A Lista B “obteve um resultado que ficou abaixo das expectativas”, com 21% dos votos validamente expressos, diz ainda.

“Os candidatos da Lista B levaram por diante esta campanha eleitoral em condições extremamente difíceis, marcadas por decisões controversas impostas pela maioria afeta à Lista A na comissão eleitoral, dificultando o esclarecimento dos associados, o que muito terá contribuído para um aumento da abstenção”, considera a candidatura de Ribeiro Mendes.

António Tomás Correia venceu sexta-feira as eleições da AMMG, à frente da lista A, com 43,2% dos votos, disse à agência Lusa fonte ligada à lista.

A lista C, liderada por António Godinho, ficou em segundo lugar, com 36,3% dos votos, e a lista B de Fernando Ribeiro Mendes em terceiro, com 20,5% dos votos. Os dois candidatos juntos obtiveram assim mais de 56% dos votos.

As eleições destinavam-se a escolher os dirigentes para os órgãos sociais da AMMG para o triénio 2019/2022.

A Associação Mutualista Montepio Geral é o topo do grupo Montepio e tem como principal empresa subsidiária a Caixa Económica Montepio Geral, que desenvolve o negócio bancário.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Jogo Online é regulado desde 2015

Jogo Online atrai 100 mil novos apostadores a cada trimestre

Jogo Online é regulado desde 2015

Jogo Online atrai 100 mil novos apostadores a cada trimestre

O primeiro-ministro indigitado, António Costa, à chegada para uma audiência com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, para apresentação da lista de nomes propostos para secretários de Estado do XXII Governo Constitucional, no Palácio de Belém, em Lisboa, 21 de outubro de 2019. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Conheça os secretários de Estado do novo Governo

Outros conteúdos GMG
Montepio: adversários realçam perda de maioria de Tomás Correia na Mutualista