Novo Banco

António Ramalho: Problemas do Novo Banco residem em 44 créditos

Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA
Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Atividade desportiva, partidos políticos ou atividades religiosas são algumas das áreas não-estratégicas do Novo Banco.

As imparidades para crédito de 1,230 mil milhões foram as principais responsáveis para os avultados prejuízos do Novo Banco em 2017. Boa parte destas provisões deve-se aos ativos estrangeiros, que residem em 44 créditos e que estão em atividades “não-estratégicas”, explicou António Ramalho, presidente executivo do Novo Banco, em entrevista à Antena 1 e Jornal de Negócios.

“O nosso CCA [mecanismos de capitalização contingente] está dividido em duas estruturas: 44 créditos fundamentais, em que está o grosso dos problemas, e um conjunto de créditos granulares que têm já alguns sinais de imparidades mas que são geridos como um todo”, explicou o líder do Novo Banco.

António Ramalho detalha que 89% destes créditos são para empresas. Mais de metade são créditos “out of strategy”, ou seja, “créditos imobiliários sem garantias ou crédito, por exemplo, para a compra de empresas com garantia de ações, ou créditos a setores sobres os quais não temos apetite qualquer de risco, como seja a atividade desportiva, partidos políticos ou atividades religiosas. […] Não financiamos nenhuma destas estruturas hoje em dia, isto é, mantemos os créditos e tentamos reduzi-los”.

A entrevista a António Ramalho foi concedida após terem sido apresentados prejuízos de 1,395 mil milhões de euros em 2017.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Tony Dias/Global Imagens)

Consumo dispara e bate subida de rendimentos

Hotéis de Lisboa esgotaram

“Grandes” eventos impulsionaram aumento dos preços na hotelaria em junho

Catarina Martins, Bloco de Esquerda

Catarina Martins diz que “Ryanair não pode ter um estatuto de impunidade”

Outros conteúdos GMG
António Ramalho: Problemas do Novo Banco residem em 44 créditos