Crimes financeiros

Banca: os campeões europeus nas multas por branqueamento de capitais

Fotografia: REUTERS/Gonzalo Fuentes
Fotografia: REUTERS/Gonzalo Fuentes

O BNP Paribas foi alvo da maior multa alguma vez aplicada por branqueamento de capitais ou quebra de sanções.

As multas aplicadas a bancos europeus por facilitarem o branqueamento de capitais e a quebra de sanções ascendeu a 14 de milhões de euros, entre 2012 e 2018, refere um relatório da Moody’s divulgado esta terça-feira.

Estes são os cinco bancos com as multas mais pesadas:

BNP Paribas – 2014 – 7,9 mil milhões de euros

Até à data, este é a maior multa paga por um único banco por branqueamento de capitais ou quebra de sanções. O BNPP concordou pagar 7,9 mil milhões de euros depois de se dar como culpado de efetuar transações financeiras em nome de entidades cubanas, sudanesas e iranianas que estavam sob sanções por parte dos Estados Unidos. A multa foi equivalente à soma das transações ilegais identificadas.

HSBC – 2012 – 1,7 mil milhões de euros

O HSBC aceitou pagar a multa e também entrar num acordo de diferimento da acusação com o Departamento de Justiça, nos Estados Unidos, depois de emergir que falhas no sistema de controlo da sua unidade no país facilitaram o branqueamento de capitais em larga escala com origem no México. Uma grande parte do branqueamento estava ligado ao Black Market Peso Exchange (BMPE), um sistema complexo usado para movimentar grandes quantidades de dinheiro gerado pelo tráfego de drogas nos EUA e outros países. Além disso, o banco também violou sanções dos EUA ao efetuar transações em nome de clientes cubanos, iranianos, líbios, sudaneses e birmaneses.

Commerzbank – 2015 – 1,3 mil milhões de euros

O banco alemão aceitou pagar 1,3 mil milhões de euros a cinco agências norte-americanas por ter facilitado operações com países na lista de sanções dos EUA, incluindo o Irão e o Sudão, entre 2002 e 2008.

Société Générale – 2018 – 1,16 mil milhões de euros

Vários reguladores e agências dos EUA, incluindo o Departamento de Estado de Serviços Financeiros de Nova Iorque aplicaram uma multa de 1,16 mil milhões de euros ao SG por ter efetuado operações com países alvo de sanções por parte dos EUA, incluindo Cuba, Irão, Líbia e Sudão.

ING – 2018 – 814 milhões de euros

O banco foi multado na Holanda por falhas na deteção de operações de branqueamento de capitais e no controlo de transações entre 2010 e 2016.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(TIAGO PETINGA/LUSA)

Procuram-se especialistas para indústria em alto voo

LISBOA, 02/05/2019  - Convidado do programa “A Vida do Dinheiro” - António Bernardo
(João Silva/Global Imagens)

António Bernardo: “O modelo económico e social europeu é um modelo de futuro”

Certificados

Famílias investiram uma média de 3,3 milhões por dia em certificados este ano

Outros conteúdos GMG
Banca: os campeões europeus nas multas por branqueamento de capitais