bancos

Banco Crédito Agrícola elege nova administração em 25 de maio

Licínio Pina, presidente do Crédito Agrícola
Licínio Pina, presidente do Crédito Agrícola

A Caixa Central de Crédito Agrícola é liderada por Licínio Pina desde 2013.

A Caixa Central de Crédito Agrícola Mútuo elege os novos órgãos sociais em 25 de maio, para o triénio 2019-2021, disse à Lusa fonte oficial do grupo cooperativo.

No final do ano passado terminou o mandato dos atuais órgãos sociais, pelo que os atuais estão em gestão corrente até às eleições.

A Caixa Central de Crédito Agrícola é responsável pela coordenação e supervisão das 80 Caixas de Crédito Agrícola Mútuo e é liderada por Licínio Pina desde 2013, há dois mandatos.

O gestor trabalha no banco há mais de 30 anos, sendo o seu lugar de origem a Caixa de Crédito Agrícola da Serra da Estrela.

Além do Conselho de Administração Executivo, nas eleições será eleita a Mesa da Assembleia-Geral e o Conselho Geral e de Supervisão.

Esta quinta-feira foi aprovada em assembleia-geral extraordinária a revisão dos estatutos do Crédito Agrícola para que, de futuro, tenham de ser independentes cinco dos nove membros do Conselho Geral e de Supervisão.

Atualmente, os nove elementos são representantes das caixas agrícolas.

O grupo cooperativo Crédito Agrícola é composto por 80 caixas de Crédito Agrícola Mútuo, a Caixa Central e as empresas que detém, como seguradoras.

Tem cerca de 650 agências.

O grupo tem previsto fundir nos próximos anos 20 caixas, passando das atuais 80 para 60, justificando com a pouca rentabilidade e eficiência de algumas e ainda com a necessidade de cumprir exigências regulamentares que só são possíveis com caixas de maior escala.

Os resultados de 2018 ainda não são conhecidos, sabendo-se apenas que no primeiro semestre teve lucros de 64,2 milhões de euros.

Já em 2017 obteve 150 milhões de euros de lucro.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Turistas passeiam na baixa de Quarteira dia 19 de março de 2020. (LUÍS FORRA/LUSA)

Desemprego no Algarve triplica em maio por quebras no turismo

(MANUEL DE ALMEIDA/LUSA)

OE Suplementar: Oposição levou 263 propostas a votação, passaram 35

O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, João Leão (D), durante o debate e votação da proposta do orçamento suplementar para 2020, na Assembleia da República, em Lisboa, 17 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

O Orçamento Suplementar em 5 minutos

Banco Crédito Agrícola elege nova administração em 25 de maio