Banco de Portugal

Banco de Portugal aplicou coimas de 317 mil euros no 3.º trimestre

Carlos Costa, governador do Banco de Portugal. Foto:
Diana Quintela/Global Imagens
Carlos Costa, governador do Banco de Portugal. Foto: Diana Quintela/Global Imagens

O Banco de Portugal abriu 31 processos de contraordenação no 3º trimestre e decidiu outros 55, tendo aplicado coimas de 317 mil euros aos bancos

O Banco de Portugal abriu 31 processos de contraordenação no terceiro trimestre deste ano e decidiu outros 55, tendo aplicado coimas de 317 mil euros aos bancos que supervisiona, segundo informou esta terça-feira a instituição.

Ao todo, entre janeiro e setembro, o Banco de Portugal decidiu 176 processos de contraordenação e aplicou multas que superam os 1,9 milhões de euros, uma vez que no primeiro trimestre foram decididos 84 processos e aplicadas coimas de 230 mil euros e, no segundo trimestre, foram fechados 37 processos e aplicadas multadas de 1,4 milhões de euros.

Na síntese da atividade sancionatória do Banco de Portugal no terceiro trimestre de 2017, divulgada hoje, o banco central indica, relativamente às decisões, proferiu quatro admoestações e aplicou coimas que totalizaram 317 mil euros, dos quais 10 mil ficaram com a execução suspensa, não referindo o motivo dessa suspensão nem quais as entidades sancionadas.

Destes 55 processos decididos, 38 são relativos a infrações de natureza comportamental, 15 respeitam a infrações de natureza prudencial, um é sobre infrações a deveres respeitantes à prevenção do branqueamento de capitais e do financiamento do terrorismo e outro sobre infrações às regras em matéria de recirculação de numerário.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
REUTERS/ Phil Noble

Empresas temem que brexit obrigue a despedimentos

Fotografia: Carlos Manuel Martins/Global Imagens)

Mais de 90% das famílias ganham com novas tabelas de IRS, mas pouco

Luís Manuel Moreira de Campos e Cunha, economista português, que foi Ministro das Finanças de Portugal, entrevistado da TSF.
Luís Manuel Moreira de Campos e Cunha
(Gerardo Santos / Global Imagens)

Luís Campos e Cunha: “A geringonça, do ponto de vista político, acabou”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Banco de Portugal aplicou coimas de 317 mil euros no 3.º trimestre