Contrafação

Banco de Portugal apreende mais de sete mil notas falsas no primeiro semestre

Fotografia: João Relvas/Lusa
Fotografia: João Relvas/Lusa

As notas menos contrafeitas foram as de 5 euros e as de 10 euros, revelou o BdP.

O Banco de Portugal (BdP) retirou 7.427 notas contrafeitas de circulação no primeiro semestre deste ano, um valor superior em quase 10% ao registado no segundo semestre de 2018, de 6.757, segundo informação hoje divulgada.

Numa nota publicada no seu ‘site’, o BdP adiantou que “a quantidade de notas contrafeitas apreendidas continua a ser residual em relação à quantidade de notas em circulação”.

O maior número de notas contrafeitas foi de 50 euros (3.436) e de 20 euros (2.486), tendo ainda sido apreendidas 524 notas de 100 euros, 291 notas de 200 euros e 479 de 500 euros.

As notas menos contrafeitas foram as de 5 euros (45) e de 10 euros (166), revelou o BdP.

Comparativamente, no segundo semestre de 2018, os dados do organismo apontavam para 3.779 notas de 50 euros contrafeitas apreendidas, 2.462 notas de 20 euros, 225 notas de 100 euros, 21 notas de 200 euros e 75 notas de 500 euros. Ou seja, no primeiro semestre deste ano aumentou a contrafação de notas de valor mais elevado.

Na mesma nota, o regulador indicou que “as contrafações apreendidas apresentam qualidade regular e podem ser identificadas tocando, observando e inclinando a nota para conferir os seus elementos de segurança sem utilizar qualquer instrumento de verificação”.

O BdP referiu ainda que “é importante saber reconhecer a autenticidade das notas no momento em que são recebidas, dado que não é possível trocar uma nota contrafeita por uma nota genuína”.

O organismo lembrou ainda que a 28 de maio de 2019, “entraram em circulação as novas notas de 100 e 200 euros, que completaram a segunda série de notas de euro, a série Europa. As notas da série Europa contêm novos elementos de segurança, um holograma-satélite e um número esmeralda melhorado que, em conjunto, tornam as notas de euro ainda mais seguras”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
coronavirus lay-off trabalho emprego desemprego

Empresas com quebras de 25% vão poder pedir apoio à retoma

Lisboa,  29/09/2020 - Ursula Von der Leyen, Presidente da Comissão Europeia.
(Paulo Alexandrino/Global Imagens)

“Temos de ser cuidadosos em relação à dívida, no longo prazo ela terá de descer”

ANTONIO COTRIM/ LUSA

Governo aposta no clima e competências para recuperação – mas sem empréstimos

Banco de Portugal apreende mais de sete mil notas falsas no primeiro semestre