Banco de Portugal

Banco de Portugal aprovou fusão entre Banco Popular Portugal e Popular Factoring

O Banco de Portugal e o Banco Central Europeu aprovaram a fusão do Banco Popular Portugal e da Popular Factoring, de acordo com a CMVM

O Banco de Portugal e o Banco Central Europeu aprovaram esta quarta-feira a fusão do Banco Popular Portugal e da Popular Factoring, de acordo com informação publicada na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

“O Banco Popular Portugal, S.A. comunica que foi nesta data informado da autorização pelo Banco Central Europeu e pelo Banco de Portugal da operação de fusão do Banco Popular Portugal, S.A. e da Popular Factoring, S.A., mediante a transferência global do património da Popular Factoring, S.A (sociedade incorporada) para o Banco Popular Portugal, S.A. (sociedade incorporante)”, diz o comunicado do Banco Popular divulgado pela CMVM.

De acordo com a mesma informação, dado que a sociedade incorporante detém a totalidade das ações representativas da sociedade incorporada, a fusão realizar-se-á de acordo com o disposto no artigo 116.º do Código das Sociedades Comerciais, não dando origem à troca de participações sociais nem ao aumento de capital social do Banco Popular Portugal.

Na sequência da operação de fusão, a Popular Factoring extinguir-se-á, sendo a totalidade do seu património transmitida para o Banco Popular Portugal, “com total salvaguarda dos direitos dos seus clientes e parceiros assim como da continuidade dos serviços”.

A operação de fusão encontra-se dependente de registo comercial bem como de registo especial junto do Banco de Portugal.

O projeto de fusão entre o Banco Popular Portugal e a Popular Factoring foi registado a 20 de julho, mas teve de aguardar a aprovação do Banco de Portugal.

A operação de fusão “enquadra-se no processo de restruturação e redimensionamento da atividade” do Grupo Banco Popular, que assenta “na simplificação e racionalização da respetiva estrutura societária e operacional”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Teste - Redação DV

Liberdade e sustentabilidade dos media, com ou sem apoio do governo?

Regime dos residentes não habituais garante isenção de IRS a quem recebe pensões do estrangeiro.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Primeiros 18 residentes não habituais prestes a perder benefício

Miguel Albuquerque, do PSD Madeira.

Projeção. PSD perde maioria absoluta na Madeira

Outros conteúdos GMG
Banco de Portugal aprovou fusão entre Banco Popular Portugal e Popular Factoring