crédito

Bancos concederam 45 milhões de euros de crédito por dia

Fotografia: Reinaldo Rodrigues/Global Imagens
Fotografia: Reinaldo Rodrigues/Global Imagens

O crédito a famílias atingiu 16,3 mil milhões de euros em 2018, o valor mais alto desde 2010.

Os bancos aceleraram na concessão de crédito no ano passado. Concederam cerca de 45 milhões de euros por dia. Os novos empréstimos a famílias totalizaram 16,3 mil milhões de euros em 2018, mais 1,85 mil milhões que em 2017. Foi o ano com mais crédito desde 2010, antes do resgate da troika.

“Em 2018, os volumes de novas operações de empréstimos para habitação, consumo e outros fins totalizaram 9,8 mil milhões, 4,7 mil milhões e 1,8 mil milhões de euros, respetivamente”, informou o Banco de Portugal numa nota divulgada esta terça-feira. Para a compra de casa, a banca concedeu 27 milhões por dia e deu quase 13 milhões por dia para o consumo.

A maior vontade dos bancos em conceder crédito levou o Banco de Portugal a recomendar às instituições financeiras que cumprissem com determinados limites nos empréstimos às famílias. Essas regras entraram em vigor no início de julho e incidem sobre limites ao montante do empréstimo face ao valor do imóvel que vai ser comprado, ao valor dos rendimentos das famílias que vão ser destinados para pagar as prestações e aos prazos dos empréstimos.

O supervisor explicou, no último Relatório de Estabilidade Financeira, que “o atual contexto económico, com destaque para o nível reduzido das taxas de juro e para a pressão concorrencial no mercado de crédito à habitação, traduzida designadamente na compressão dos spreads de taxa de juro praticados nestes contratos, propicia uma menor restritividade nos critérios de concessão de crédito”.

Já do lado das famílias, o Banco de Portugal observa que “a melhoria da confiança dos consumidores, as perspetivas de evolução no mercado da habitação e o nível geral das taxas de juro continuaram a contribuir para o aumento da procura de crédito pelos particulares”.

Atualizada às 11:40 com mais informação

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
lisboa casas turismo salarios portugal

Turismo em crise já pensa no day after

O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira. TIAGO PETINGA/LUSA

Governo estima que mais de um terço dos empregados fique em lay-off

Mário Centeno, Ministro das Finanças.
Fotografia: Francois Lenoir/Reuters

Folga rara. Custo médio do petróleo está 10% abaixo do previsto no Orçamento

Bancos concederam 45 milhões de euros de crédito por dia