banca

Bancos cortam 2.400 milhões em malparado até junho

Portugal tem uma das maiores dívidas do mundo

Relatório sobre o Sistema Bancário Português foi divulgado esta quinta-feira pelo Banco de Portugal.

Os bancos eliminaram 2.400 milhões de euros de crédito malparado dos seus balanços nos primeiros seis meses deste ano.

No final de 2018 os bancos a atuar no mercado português tinham 25.856 milhões de empréstimos ‘tóxicos’ e fecharam o mês de junho com 23.447 milhões de euros de crédito malparado bruto.

“A trajetória de redução do stock de empréstimos non-performing manteve-se no segundo trimestre de 2019, observando-se uma diminuição de cerca de 200 milhões de euros, no caso dos particulares, e de 650 milhões de euros, no caso das sociedades não financeiras”, refere o relatório sobre o Sistema Bancário Português do segundo trimestre deste ano, divulgado esta quinta-feira pelo Banco de Portugal.

“Esta evolução traduziu-se numa redução do rácio de NPL (non-performing loans) total de 8,9% para 8,3% face ao trimestre anterior [4,3% para 4,0%, quando líquido de imparidades], e numa diminuição 1,1 pontos percentuais face ao final de 2018”, adianta.

Em atualização

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno (D), durante o debate parlamentar de discussão na generalidade do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), esta tarde na Assembleia da República, em Lisboa, 09 de janeiro de 2020. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Subida do PIB em 2019 chega aos 2,2% com revisão nas exportações de serviços

Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Novo Banco prevê redução de 1,7 mil milhões de malparado em 2020

Sede do Novo Banco, ex-BES, na Avenida da Liberdade.
(Ângelo Lucasl / Global Imagens )

Novo Banco não afasta que possa vir a pedir mais capital ao Fundo de Resolução

Bancos cortam 2.400 milhões em malparado até junho