crédito malparado

Bancos reduzem crédito malparado e imparidades no 3.º trimestre de 2018

Banco de Portugal mudou regras

O crédito malparado nos bancos portugueseses caiu para 31.171 milhões de euros no final do terceiro trimestre.

Os bancos reduziram o crédito malparado em 5,8 mil milhões de euros até ao fim do terceiro trimestre de 2018, bem como as imparidades, divulgou esta terça-feira a Associação Portuguesa de Bancos (APB).

De acordo com a Síntese de Indicadores do Setor Bancário, realizada pela associação, o rácio de crédito malparado passou para os 11,3% nos primeiros nove meses de 2018, depois de 13,3% no total de 2017, de 17,2% em 2016 e 17,5% em 2015. Em termos brutos, o crédito malparado desceu para os 31.171 milhões de euros no final do terceiro trimestre de 2018, depois de 37.001 milhões no total de 2017, 46.361 em 2016 e 49.818 em 2015.

A margem financeira dos bancos, baseada nas demonstrações de resultados consolidados, registou uma variação homóloga de 1,7% no terceiro trimestre de 2018, totalizando 4.639 milhões de euros até setembro de 2018, depois de 6.109 milhões no total de 2017.

Segundo a síntese, que se baseia sobretudo em dados do Banco de Portugal (BdP), as imparidades totalizaram 14,2% do produto bancário nos primeiros três trimestres de 2018, depois de 31,5% nos doze meses de 2017.

Em termos de rácios de rendibilidade, o rácio de retornos sobre o capital próprio aumentou para 8,7% no período, depois de 3,3% em todo o 2017, e o rácio sobre os ativo para 0,8%, após 0,3% no ano anterior.

De acordo com a APB, os depósitos subiram 2,0% para 254.785 milhões de euros no terceiro trimestre, após um aumento de 1,7% em 2017, perfazendo um total de 249.692 milhões de euros. Já os empréstimos diminuíram 1,3% para 227.803 milhões de euros, depois dos 230.862 milhões em 2017.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Base Aérea n.º 6, no Montijo, que será adaptada para a aviação civil caso aí avance a construção do novo aeroporto de Lisboa. Fotografia: Paulo Spranger/Global Imagens

Montijo: Novo aeroporto já tem luz verde definitiva

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva  (MIGUEL A. LOPES/LUSA)

Ministro defende atuação do Governo: Portugal “fará o que tem feito”

Cláudia e Paulo Azevedo
(José Carmo/Global Imagens)

Sonae “está a acompanhar com atenção e preocupação”

Bancos reduzem crédito malparado e imparidades no 3.º trimestre de 2018