banca

Banif condenado a pagar 65 milhões de euros ao Novo Banco

(Leonardo Negrão / Global Imagens)
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

No âmbito da liquidação, o Novo Banco pode tornar-se no maior credor do Banif.

O Banif foi condenado a pagar 65 milhões de euros – 53 milhões acrescidos de juros de 12 milhões – ao Novo Banco. Em causa está um financiamento concedido pela instituição ainda enquanto Banco Espírito Santo, de acordo com o Jornal de Negócios, esta sexta-feira.

O ainda BES financiou o Banif em cerca de 53 milhões de euros, sob a forma de conta corrente. Após a intervenção do Banco de Portugal, o ativo do BES transitou para o Novo Banco, que colocou o Banif em tribunal para recuperar o montante que não estava a ser pago.

“No final de 2015, na resolução do banco madeirense, o Santander Totta não ficou com este passivo, nem ele foi incluído no balanço da Oitante continuou no Banif, que ficou esvaziado de ativos, mas onde estavam os acionistas subordinados, e que já entrou em liquidação”, pode ler-se no mesmo jornal.

Em dezembro de 2016, foi proferida a sentença que julgou a ação precedente, condenando o Banif a pagar o valor acrescido de juros vencidos desde 24 de fevereiro de 2015, de acordo com o último relatório e contas da instituição financeira.

A sentença já transitou em julgado pelo que não existe hipótese de recurso.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa, 16/07/2019 - Decorreu hoje parte de uma reportagem sobre, empregos criados pelas empresas de partilha de veículos em Portugal..
Acompanhamos a recolha, carregamento e reparação das trotinetes partilhadas da Circ.

(Orlando Almeida / Global Imagens)

Partilha de veículos dá emprego a mais de 500 pessoas

Lisboa, 16/07/2019 - Decorreu hoje parte de uma reportagem sobre, empregos criados pelas empresas de partilha de veículos em Portugal..
Acompanhamos a recolha, carregamento e reparação das trotinetes partilhadas da Circ.

(Orlando Almeida / Global Imagens)

Partilha de veículos dá emprego a mais de 500 pessoas

António Mexia, CEO da EDP. Fotografia: REUTERS/Pedro Nunes

Saída de clientes da EDP já supera as entradas

Outros conteúdos GMG
Banif condenado a pagar 65 milhões de euros ao Novo Banco