Banif

Banif perde licença bancária e entra em liquidação

(Leonardo Negrão / Global Imagens)
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Alguns credores do Banif, como é o caso do Fundo de Resolução e do antigo BES, não esperam receber dinheiro de volta.

O Banif entrou oficialmente em liquidação, depois do Banco Central Europeu (BCE) ter revogado a licença de atividade bancária. Segundo o Jornal de Negócios desta segunda-feira, as contas do Banif relativas a 2015 já faziam prever o futuro. O processo segue para o tribunal e depois para liquidação judicial, mas o Banif vai reclamar a utilização de um crédito tributário de 35 milhões de euros.

Em 2015, o Banif tinha um património avaliado em 51 milhões de euros (‘ativos’) face a um saldo de 815 milhões de euros em obrigações (‘passivos’). Em 2017, o Banco de Portugal avançou com o pedido de liquidação.

A liquidação do Banif vai avançar e alguns acionistas vão ficar com os seus títulos no ‘banco mau’: o Estado, que detém mais de 60,5% do capital do Banif, a Herança Indivisa de Horácio Roque, 6,3%, e a Auto-Industrial que detém 1,8%.

O Banif tinha também vários credores, por isso a situação está a ser analisada pela auditora Baker Tilly que vai verificar se têm algum montante a receber neste processo. Entre eles está o Fundo de Resolução, que já afirmou que não espera receber os 489 milhões de euros aplicados na resolução do Banif. O antigo BES também tinha cedido ao banco 53 milhões de euros.

Apesar da liquidação, o Banif vai fazer cumprir os seus direitos e vai reclamar 35 milhões em crédito tributário ao Estado. Este valor poderá ser utilizado, por exemplo, para compensar dívidas relativas a impostos sobre rendimento e património.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
dbrs-1060x594

DBRS mantém rating de Portugal em ‘BBB’ e perspetiva estável

O primeiro-ministro, António Costa, intervém durante a cerimónia de assinatura de declaração de compromisso de parceria para Reforço Excecional dos Serviços Sociais e de Saúde e lançamento do programa PARES 3.0, no Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, em Lisboa, 19 de agosto de 2020. ANDRÉ KOSTERS/LUSA

“Na próxima semana podemos chegar aos 1000 casos por dia”, avisa Costa

App Stayaway covid

App Stayaway Covid perto do milhão de downloads. 46 infetados enviaram alertas

Banif perde licença bancária e entra em liquidação