banca

Bankinter: “Estaremos atentos a essa oportunidade” de venda do Novo Banco

Lisboa, 03/04/18 - Alberto Ramos, diretor-geral do Bankinter Portugal, fotografado na sede do Banco.

(Sara Matos / Global Imagens)
Lisboa, 03/04/18 - Alberto Ramos, diretor-geral do Bankinter Portugal, fotografado na sede do Banco. (Sara Matos / Global Imagens)

"Nos últimos tempos, analisámos várias opções", disse Alberto Ramos. O Bankinter teve um lucro antes impostos de 66 milhões de euros em 2019.

O Bankinter tem analisado a possibilidade de fazer aquisições em Portugal e vai estar atento ao Novo Banco, que poderá ser vendido.

Alberto Ramos, country manager do Bankinter Portugal, salientou que a atual estratégia do banco é de continuar a apostar no crescimento orgânico. Mas se surgirem oportunidades de consolidar, o banco vai analisar, como tem analisado.

Frisou que “é natural” que o Novo Banco venha estar à venda este ano ou em 2021. “Estaremos atentos a essa oportunidade”, afirmou disse Alberto Ramos na conferência de apresentação das contas do banco, em Lisboa, esta terça-feira. “Veremos o que é que será (o Novo Banco quando for colocado à venda) e avaliaremos”.

Destacou que “o Novo Banco é um banco que tem uma quota nas empresas bastante interessante”.

O banqueiro escusou-se a confirmar se o Bankinter analisou a compra do EuroBic mas afirmou que o banco analisou várias possibilidades de aquisição. “Olhamos para todas as oportunidades que existem no mercado e depois tomamos decisões”, adiantou.

Questionado sobre a compra do EuroBic pelo Abanca, considerou positivo. “Permite resolver algum problema de instabilidade. Do ponto de vista do sistema financeiro, é positivo”, disse. O EuroBic anunciou ontem um acordo para a compra de 95% do banco pelo espanhol Abanca.

“Quando acharmos que elas fazem sentido podemos estar mais ativos. Os resultados que hoje apresentamos validam esta estratégia de crescimento orgânico”, disse.

O Bankinter já tinha anunciado os resultados consolidados no dia 23 de janeiro, tendo o grupo espanhol registado um lucro recorde. O lucro líquido subiu 4,6% para 551 milhões de euros. O Bankinter Portugal contribuiu com 65,6 milhões de euros de resultado antes de impostos para o lucro do grupo espanhol.

A margem bruta de negócios do Bankinter Portugal aumentou 17% em termos homólogos para 129,1 milhões de euros. O volume de negócio melhorou 12,2% para 14,7 mil milhões de euros. Os custos operativos desceram 2% para 122,7 milhões de euros.

No crédito, a carteira cresceu 12,1% para 6,5 mil milhões de euros. O rácio de crédito em incumprimento melhorou 1,2 pontos percentuais para 2,4%.

No crédito à habitação, o Bankinter registou um aumento de 35% na produção de empréstimos para a compra de casa, que atingiu os 693 milhões de euros em 2019.

No crédito ao consumo, o banco concedeu 101 milhões de euros, gerando um aumento de 43% da carteira de crédito da Bankinter Consumer Finance.

O Bankinter começou a operar em Portugal a 1 de abril de 2016 na sequência da aquisição da rede de banca comercial do Barclays.

Em Portugal, o Bankinter na banca comercial, banca de empresas, private banking, gestão de ativos, seguros de vida e investimento e no crédito ao consumidor, via Bankinter Consumer Finance e Bankintercard.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, acompanhado pelo ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos (Foto: Mário Cruz/Lusa)

Recuperar poder de decisão na TAP obriga Estado a pagar mais

Humberto Pedrosa é o acionista do consórcio Gateway.

TAP: Humberto Pedrosa realça a não nacionalização da empresa

Fotografia: Regis Duvignau/Reuters

TAP: Sindicato do Pessoal de Voo espera que acordo proteja postos de trabalho

Bankinter: “Estaremos atentos a essa oportunidade” de venda do Novo Banco