Salários

Banqueiros que ganham mais de um milhão na UE cai em 2016

ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA
ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Portugal é um dos seis países da UE onde o número de banqueiros com remunerações anuais superiores a um milhão de euros desceu em 2016.

O número de banqueiros que ganham mais de um milhão de euros no conjunto da União Europeia (UE) desceu 10,6% entre 2015 e 2016, sobretudo devido a oscilações da taxa de câmbio do euro face à libra, foi anunciado.

Segundo um relatório da Associação Bancária Europeia (EBA) esta terça-feira, o número de executivos da banca que ganham mais de um milhão de euros desceu de um total de 5.142 em 2015 para 4.597 em 2016.

Contudo, no longo prazo, o número de banqueiros que ganham mais de um milhão de euros por ano aumentou significativamente, já que passou de 3.427 em 2010 para 4.597 em 2016, com a taxa de câmbio quase inalterada nestes dois anos, precisa a EBA.

O país com mais banqueiros milionários em 2016 foi o Reino Unido, com 3.529, equivalente a 76,77% do total, apesar do número se ter reduzido 14,61% de 2015 para 2016.

Atrás do Reino Unido surge a Alemanha com 253, a França com 205, a Itália com 172 e Espanha com 152.

Neste período, a EBA constatou que Portugal é um dos seis países da União Europeia (UE) onde o número de banqueiros com remunerações anuais superiores a um milhão de euros desceu em 2016 face ao ano anterior.

O número de banqueiros que ganham mais de um milhão de euros em Portugal em 2016 caiu para oito, mas no relatório a EBA não precisa quantos eram em 2015.

Além de Portugal, o número de banqueiros milionários só desceu entre 2015 e 2016 na Alemanha, Finlândia, Hungria, Itália e Liechtenstein.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

EDP. (REUTERS/Eloy Alonso)

Concorrência condena EDP Produção a multa de 48 milhões

Outros conteúdos GMG
Banqueiros que ganham mais de um milhão na UE cai em 2016