banca

BCE mantém recomendação aos bancos de prudência nos dividendos

Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu durante  uma reunião dos ministros das finanças da UE no Conselho Europeu em Bruxelas, na Bélgica,  20 Janeiro 2020.  EPA/STEPHANIE LECOCQ
Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu durante uma reunião dos ministros das finanças da UE no Conselho Europeu em Bruxelas, na Bélgica, 20 Janeiro 2020. EPA/STEPHANIE LECOCQ

"Uma política de distribuição de dividendos conservadora faz parte de uma gestão adequada dos riscos e de um sistema bancário sólido", diz o BCE.

O Banco Central Europeu (BCE) voltou a recomendar aos bancos prudência na distribuição de dividendos em 2020.

Na sua recomendação habitual no arranque de cada ano, o BCE recomenda que, mesmo os bancos que cumpram todos os requisitos em termos de fundos próprios, “deveriam distribuir a título de dividendos os seus lucros líquidos de uma forma conservadora e que lhes permita continuar a cumprir todos esses requisitos e resultados do SREP (Processo de Revisão e Avaliação pela Supervisão), mesmo em caso de situação económica e financeira deteriorada”.

“As instituições de crédito deverão formular políticas de distribuição de dividendos baseadas em pressupostos conservadores e prudentes, por forma a poderem, mesmo após qualquer distribuição, continuar a satisfazer os respetivos requisitos de fundos próprios e os resultados do Processo de Revisão e Avaliação pela Supervisão”.

Adianta que “embora as instituições de crédito tenham de financiar a economia, uma política de distribuição de dividendos conservadora faz parte de uma gestão adequada dos riscos e de um sistema bancário sólido”.

A mesma recomendação foi emitida pelo BCE há um ano.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Lisboa-19/12/2019  - Conferencia de Antonio Mexia ,CEO da EDP. 
(PAULO SPRANGER/Global Imagens)

Chinesa CTG vende 1,8% da EDP

(A-gosto.com/Global Imagens).

PSD indisponível para viabilizar alteração à lei para aeroporto do Montijo

O ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Novo Banco: Estado como acionista só dilui posição do Fundo de Resolução

BCE mantém recomendação aos bancos de prudência nos dividendos