Política Monetária

BCE pede cautela aos bancos na distribuição de dividendos

Foto.  REUTERS/Alex Grimm (GERMANY)/File Photo
Foto. REUTERS/Alex Grimm (GERMANY)/File Photo

A autoridade monetária do euro pede contenção à banca na distribuição de dividendos bem como nas retribuição variáveis pagas aos banqueiros

O Banco Central Europeu (BCE) emitiu uma carta onde estão presentes as linhas mestras que as instituições bancárias na Zona Euro devem seguir em relação aos pagamentos que vão ser realizados em 2019 mas que dizem respeito aos lucros obtidos no ano passado. Os alertas chegam no início do ano e numa altura em que as empresas estão a aferir os resultados do quarto trimestre e do ano de 2018.

A autoridade monetária liderada por Mario Draghi pede prudência aos bancos na distribuição de dividendos aos acionistas, justificando-o com as dificuldades geradas pelo ambiente económico e pelas exigências regulatórias que afetam o setor. O banco central indica na missiva, citada pelo jornal Cinco Días, que a “política de repartição de dividendos conservadora é um dos elementos necessários para alcançar uma gestão adequada ao risco e um sistema bancário sólido”. É também expectável que “que a política de repartição de dividendos e a gestão de capital das entidades tenha em conta a possível repercussão [em termos de exigência de capital] das futuras modificações do regime jurídico, regulatório e contabilístico da União” Europeia.

Além disso, Mario Draghi lembra que os “os bancos têm de continuar a preparar-se para a aplicação na integra e oportuna [das novas exigências de solvência surgidas depois da crise de 2008] e para o fim do período transitório estabelecido para mitigar o impacto negativo no capital para contabilizar as perdas creditícias esperadas conforme a nova norma IFRS9”, disse ainda o BCE, citado pelo jornal espanhol Expansión. “Todo o ambiente macroeconómico e financeiro difícil afecta a rentabilidade das entidades e a sua capacidade para aumentar a sua base de capital”.

Entre os riscos que podem afetar o setor está, nomeadamente, a desaceleração do ritmo de crescimento da economia mundial, nomeadamente devido à guerra comercial travada entre os Estados Unidos e a China e também devido à saída do Reino Unido da União Europeia, dado os laços que unem as duas economias.

Não foi apenas o BCE que deixou alertas sobre a política de remuneração dos bancos. Ainda em dezembro, o Banco de Portugal tinha pedido prudência na distribuição de parte do lucro aos acionistas. “Apesar dos recentes progressos, os desafios que continuam a colocar-se ao sistema bancário português requerem a adoção de políticas prudentes de aplicação dos resultados gerados, em particular no que concerne à distribuição de dividendos”, refere o Banco de Portugal no Relatório de Estabilidade Financeira divulgado no início do mês passado.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ensino profissional é uma das áreas em que Portugal se posiciona pior na tabela do IMD World Talent Ranking 2019. Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal é 23º no ranking mundial de talento. Caiu seis posições

O ensino profissional é uma das áreas em que Portugal se posiciona pior na tabela do IMD World Talent Ranking 2019. Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal é 23º no ranking mundial de talento. Caiu seis posições

Presidente executivo da TAP Antonoaldo Neves. Fotografia: NUNO FOX/LUSA

TAP faz emissão de dívida só para investidores institucionais

Outros conteúdos GMG
BCE pede cautela aos bancos na distribuição de dividendos