BCP

BCP avança com aumento de capital de 1,33 mil milhões

Fotografia: André Kosters/ LUSA
Fotografia: André Kosters/ LUSA

Banco recebeu já autorização para usar dinheiro no reembolso dos 700 milhões em CoCos que ainda tem

O Millennium bcp anunciou agora que vai avançar com um aumento de capital de 1,33 mil milhões de euros. A confirmação da operação surge quase três horas depois de terem saído as primeiras notícias dando conta desta alteração substancial no banco de Nuno Amado, ainda com a bolsa em negociação.

O aumento de capital será realizado através de uma oferta pública de subscrição “dirigida a acionistas no exercício dos respetivos direitos de preferência e demais investidores que adquiram direitos de subscrição”. Para atingir o valor que o banco necessita, o BCP precisa de emitir mais 14,16 mil milhões de ações nesta operação.

“O preço de subscrição foi fixado em €0,0940 [9,4 cêntimos] por cada ação. O preço de subscrição representa um desconto de aproximadamente 38,6% face ao preço teórico ajustado ex-rights (theoretical ex-rights price) calculado com base no preço de fecho das ações BCP na Euronext Lisbon em 9 de janeiro de 2017″, detalha o BCP no comunicado. Já em comparação com a cotação atual do BCP, o desconto é de 90%.

Segundo a mesma fonte, o BCP já recebeu autorização para usar parte do dinheiro deste aumento de capital para reembolsar os 700 milhões em CoCos que ainda tem. Tal como o Dinheiro Vivo já tinha noticiado, o banco reembolsou 50 milhões no final de 2016.

Quanto à posição que cada um dos maiores acionistas do banco vai tomar em relação a mais este aumento de capital da entidade presidida por Nuno Amado, o BCP aponta já que os chineses da Fosun vão aproveitar para aumentar a sua participação de 16,67% para 30%, o novo limite máximo para cada participação qualificada.

Já a Sonangol, diz o comunicado do BCP, e apesar da petrolífera angolana já estar autorizada a elevar a sua participação até aos 30%, o banco “não tem informação a respeito de qualquer decisão da Sonangol com referência à Oferta, nomeadamente quanto a exercer, alienar e/ou adquirir quaisquer direitos de subscrição”.

Para assegurar que o aumento de capital não fica aquém do que o BCP precisa, o banco decidiu contratar um sindicato de bancos para comprarem “todas as ações eventualmente sobrantes”, entre eles os habituais Goldman Sachs, JP Morgan, Credit Suisse ou Merril Lynch.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Filipe Amorim / Global Imagens)

Estará a produtividade a ser bem medida em Portugal?

(Filipe Amorim / Global Imagens)

Estará a produtividade a ser bem medida em Portugal?

Ministério das Finanças

Função pública sai das Finanças ao fim de 17 anos

Outros conteúdos GMG
BCP avança com aumento de capital de 1,33 mil milhões