banca

BCP: Bancos devem poder cobrar por depósitos de grandes clientes

Miguel Maya, presidente executivo do Millennium BCP. Fotografia:  JOÃO RELVAS/LUSA
Miguel Maya, presidente executivo do Millennium BCP. Fotografia: JOÃO RELVAS/LUSA

Ao fazerem os seus depósitos em bancos portugueses, grandes institucionais estrangeiros evitam ter de pagar para ter o seu dinheiro depositado.

O presidente-executivo do Millennium bcp, Miguel Maya, defendeu esta terça-feira que os bancos em Portugal devem poder cobrar por depósitos de clientes institucionais.

Mas afastou a possibilidade de começarem a ser aplicadas taxas a depósitos de particulares e pequenas empresas. Para Maya, não faz sentido que os bancos em Portugal não possam cobrar por ter “centenas de milhões” em euros em depósitos de institucionais estrangeiros, que têm aproveitado o facto de em Portugal não poderem ser aplicadas taxas pelos bancos, ao contrário do que sucede em outros países europeus.

Miguel Maya afirmou aos jornalistas, à margem da conferência ‘Banca do Futuro’, que falou com reguladores mas não adiantou mais informação, nomeadamente sobre se uma alteração legislativa pode vir a ganhar forma.

A medida foi também defendida pelos CEOs do Novo Banco, António Ramalho, e da Caixa Geral de Depósitos, Paulo Macedo, na mesma conferência. Para estes banqueiros, deve haver o mesmo tipo de condições em toda a Europa.

Ao fazerem os seus depósitos em bancos portugueses, grandes institucionais estrangeiros evitam ter de pagar para ter o seu dinheiro depositado em bancos nos seus países de origem.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto e das Finanças. 
( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Cidadãos não vão tolerar situações que ponham estabilidade financeira em risco”

Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto e das Finanças. 
( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Cidadãos não vão tolerar situações que ponham estabilidade financeira em risco”

Lisboa, 22/11/2019 - Money Conference, Governance 2020 – Transparência e Boas Práticas no Olissippo Lapa Palace Hotel.  António Horta Osório, CEO do Lloyds Bank

( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

Horta Osório: O malparado na banca portuguesa ainda é “muito alto”

Outros conteúdos GMG
BCP: Bancos devem poder cobrar por depósitos de grandes clientes