Educação

Bolsa dá casa a 100 euros. Prazo para se candidatar acaba hoje

FOTO: Jorge Amaral / Global Imagens
FOTO: Jorge Amaral / Global Imagens

Iniciativa Santander inclui alunos de licenciaturas, mestrados e mestrados integrados.

A ideia é simples: criar um instrumento que ajude os jovens a conseguir onde morar, em cidades cada vez mais pressionadas pelo investimento imobiliário. A concretização: bolsas para alunos de licenciaturas, mestrados e mestrados integrados que lhes garantem casa pagando apenas a 100 euros por mês. Se está ou conhece quem esteja nestas condições e à procura de casa, apresse-se a espalhar a informação: o prazo para as candidaturas termina hoje às 00.00.

Foi a dificuldade cada vez maior dos universitários em encontrar casa a preços acessíveis na cidade que deu o impulso ao Santander. O banco, que se tem envolvido crescentemente m soluções para fazer sobressair o melhor dos jovens universitários, decidiu então encontrar uma solução que permitisse ajudar pelo menos alguns desses jovens. E assim nasceram as Bolsas Santander +Perto.

Tendo criado uma relação próxima com as instituições de ensino superior portuguesas, o Santander investe anualmente mais de 6 milhões de euros neste setor. “Temos um conhecimento profundo das dificuldades com que alguns alunos se debatem, nomeadamente ao nível do alojamento. A dificuldade de os alunos encontrarem casa a um preço acessível nas principais cidades do país tem vindo agravar-se ao ponto de este custo ameaçar, de facto, o acesso ao ensino superior e a necessária mobilidade geográfica que os estudantes devem ter quando escolhem a licenciatura. Perante este problema, fomos à procura de uma solução. Ou melhor, de um contributo nosso para ajudar a resolver o problema, como de resto é a vocação natural do Santander”, explica o banco.

Nesta primeira edição do Santander +Perto, o banco vai atribuir 40 bolsas, correspondentes a 40 camas em quarto duplo, que serão comparticipadas por cada aluno com 100 euros por mês. “O banco e o nosso parceiro neste projeto – a nova residência Livensa Living Porto Campus – comparticipam com o restante valor e os alunos ficam alojados na nova residência.”

Veja abaixo as condições para se candidatar e, se estiver dentro dos parâmetros, inscreva-se aqui.

-maior preponderância aos estudantes em condições socioeconómicas mais desfavorecidas, mas também valor a critérios de meritocracia e distância geográfica.

– ter entre 17 e 23 anos completados até 31 de dezembro de 2019;

– estar pela primeira vez no Ensino Superior e com média de entrada mínima de 14 valores

– ter inscrição válida em pelo menos 36 ECTS.

– ter um rendimento anual pessoal ou familiar per capita, conforme IRS de 2018, igual ou inferior a 25 vezes o valor do Indexante de Apoios Sociais, correspondendo ao valor de 10.894,00€;

Os fatores serão ponderados com diferente importância no apuramento de resultados (50 % – Recursos financeiros do agregado familiar; 35% – Mérito académico; 15%- Distância geográfica – atribuição da Bolsas a partir de 50 Km).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro ministro, António Costa, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, 04 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA / POOL/LUSA

Governo vê economia a crescer 4,3% em 2021 e desemprego nos 8,7%

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, durante a conferência de imprensa após a reunião extraordinária da Comissão Permanente de Concertação Social por video-chamada, no Ministério da Economia, em Lisboa, 16 de março de 2020. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Segunda fase do lay-off custa mais de 700 milhões de euros

Jorge Rocha de Matos, presidente da Fundação AIP. Foto: direitos reservados

Rocha de Matos: IVA devia ser de 6% em todos os eventos para ajudar o turismo

Bolsa dá casa a 100 euros. Prazo para se candidatar acaba hoje