BPI

BPI: Aprovada fusão com sociedade de risco BPI Private Equity

removal bpi

Os obrigacionistas do BPI não compareceram à assembleia-geral da passada sexta-feira, o que implica que da sua parte, a operação tenha sido aprovada.

Os obrigacionistas do BPI não compareceram à assembleia-geral (AG) da passada sexta-feira, convocada para analisar a fusão por incorporação com o BPI Private Equity o que implica que, da sua parte, a operação tenha sido aprovada.

Fonte oficial do banco explicou à Lusa que esta reunião é uma formalidade obrigatória no processo de fusão, que fica assim cumprida.

Na convocatória, aliás, estava previsto que “a ausência de deliberação expressa, no âmbito desta assembleia, no sentido da oposição à fusão e de nomeação de representante para o efeito, implicará o não exercício do direito de oposição”.

A convocatória, para detentores de vários tipos de obrigações do BPI, tinha como único ponto a apreciação da “fusão por incorporação” do banco com o BPI Private Equity, uma operação anunciada ao mercado no dia 15 de outubro.

Esta operação acontece no âmbito da reorganização do grupo que está a ser feita pelo seu dono, o espanhol Caixabank, sendo que o banco adiantou que estas fusões por incorporações e respetiva extinção jurídica destas sociedades têm em vista “simplificar a estrutura do grupo BPI”.

O CaixaBank, que tomou o controlo do BPI em 2017, tem vindo, desde então, a alterar a estrutura do grupo bancário português e a incorporar atividades do BPI de banca de investimento.

Em novembro de 2017 foi acordada a venda ao CaixaBank das atividades do BPI de banca de investimento, o que deve ser concretizado ainda este ano, estando o Caixabank a constituir uma sucursal em Portugal com essa finalidade.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

1400 empresas já pediram para aderir ao novo lay-off, apoios só a 28 de abril

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (MANUEL DE ALMEIDA/LUSA)

Marcelo. “Não se pode esperar um, dois, três meses por respostas europeias”

coronavírus em Portugal (covid-19) corona vírus

140 mortos e 6408 casos confirmados de covid-19 em Portugal

BPI: Aprovada fusão com sociedade de risco BPI Private Equity