banca

Lucro do BPI atinge 42,6 milhões de euros no primeiro semestre, um recuo de 68%

O CEO do BPI, João Pedro Oliveira e Costa, durante a conferência de imprensa de apresentação de resultados do 1.º semestre de 2020, na Sala Almada Negreiros do  Centro Cultural de Belém, em Lisboa, 31 de julho de 2020.  MANUEL DE ALMEIDA/LUSA
O CEO do BPI, João Pedro Oliveira e Costa, durante a conferência de imprensa de apresentação de resultados do 1.º semestre de 2020, na Sala Almada Negreiros do Centro Cultural de Belém, em Lisboa, 31 de julho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

O banco liderado por João Pedro Oliveira e Costa apresentou os resultados do primeiro semestre esta sexta-feira. Lucro em Portugal recuou 93%.

O BPI apresentou lucros de 42,6 milhões de euros no primeiro semestre de 2020, de acordo com a informação enviada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) esta sexta-feira, 31 de julho, um recuo de 68% face a junho de 2019.

Deste montante, “6,5 milhões de euros correspondem ao resultado líquido da atividade registada em Portugal”. Assim, os lucros do BPI em Portugal recuaram 93%.

O banco liderado por João Pedro Oliveira e Costa, que sucedeu a Pablo Forero em maio deste ano, apresentou uma margem financeira (a diferença entre juros cobrados por créditos concedidos e juros pagos aos aforradores) de 220 milhões de euros, uma subida de 2,4% face ao período homólogo de 2019.

Já o produto bancário comercial em Portugal recuou 1,7% (menos 5,9 milhões de euros) face ao primeiro semestre de 2019, para os 348,1 milhões de euros.

O banco constituiu ainda 83 milhões de euros de imparidades de crédito líquidas no primeiro semestre, indicando que se trata de uma medida “com caráter preventivo” tendo em conta o contexto de crise criado pela pandemia de covid-19.

Relativamente aos resultados apresentados, que o CEO do banco classificou como “bons”, João Pedro Oliveira e Costa enquadra o desempenho do semestre tendo em conta o cenário de incerteza económica. “Quando refiro que resultados são bons é preciso ter em conta que, quando isto começou, o cenário era muito incerto. Temos taxas de juros negativas, pressão nas comissões… era expetável que resultados fossem piores. Quando o banco aumenta a margem financeira, depósitos e crédito, ganha quota nos negócios principais onde está, tenho de sentir que resultados, no contexto atual, são bons.”

De acordo com a informação divulgada, o banco tem 4817 colaboradores trabalhadores. Tendo em conta o contexto de pandemia, o banco liderado por João Pedro Oliveira e Costa indica que tem 46% dos trabalhadores em teletrabalho. Esta situação irá manter-se, afirmou, ressalvando que a “prudência” é uma palavra de ordem para os próximos tempos. Até junho, o BPI contava com 448 unidades comerciais, sendo deste número são contabilizados 377 balcões.

Moratórias abrandaram nas últimas semanas

Em relação às ajudas disponibilizadas às famílias e empresas, foram aprovadas mais de 72 mil moratórias no primeiro semestre, representando 5,7 mil milhões de euros. O crédito habitação representou 31,5 mil pedidos de moratórias, com um valor de 2,6 mil milhões de euros; o crédito pessoal e financiamento automóvel representou 23,8 mil pedidos de 373 milhões. O crédito a empresas contabilizou 17,9 mil pedidos no valor de 2,7 mil milhões de euros.

João Pedro Oliveira e Costa destaca que o número de pedidos de moratórias tem vindo a abrandar ao longo das últimas semanas. “Quem queria pedir já pediu durante a altura mais crítica das moratórias.”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gerardo Santos/Global Imagens

Economia portuguesa afunda 16,3% entre abril e junho

Visitantes na Festa do Avante.

Avante!: PCP reduz lotação a um terço, só vão entrar até 33 mil pessoas por dia

covid 19 portugal casos coronavirus DGS

Mais 235 infetados e duas mortes por covid-19 em Portugal. Números baixam

Lucro do BPI atinge 42,6 milhões de euros no primeiro semestre, um recuo de 68%