BPI

BPI prepara saída de mais 267 trabalhadores até final do ano

Fotografia: Tony Dias/Global Imagens
Fotografia: Tony Dias/Global Imagens

BPI já tinha referido na avaliação da OPA do CaixaBank que estava a preparar-se para reduzir 250 postos de trabalho até ao final deste ano

O BPI está a preparar a saída de 267 trabalhadores até ao final do ano. A grande maioria das saídas (240) deverá deixar o banco liderado por Fernando Ulrich através de um programa de reformas antecipadas. As saídas vão custar 47,1 milhões de euros, refere o comunicado com os resultados do primeiro semestre, verba já inscrita nas contas de 2016.

“Estimamos que até ao final o BPI vai reduzir os quadros em mais 267 trabalhadores, elevando para 321 as saídas no total do ano”, referiu o presidente do banco esta tarde em conferência de imprensa, onde explicou que os custos previstos para esta nova redução de pessoal já foram então registados nas contas.

“Registámos nas contas 46,6 milhões de euros para custos com reformas antecipadas, para 252 casos. Doze saíram até ao final de junho e as restantes sairão ao longo do segundo semestre”, acrescentou o CEO. Sobre a diferença entre as 240 reformas antecipadas e as 267 saídas previstas, Ulrich apontou que a mesma se deve ao facto de “além das reformas antecipadas, também o movimento natural de entradas e saídas resultará em saídas líquidas, por outras razões”.

Sobre os trabalhadores visados com as reformas antecipadas com que o BPI deseja avançar, o presidente da instituição assegurou que “já quase todos chegaram a acordo com o banco”, pelo que os números e custos agora avançados “são certos”.

O BPI, com estas reduções, deverá fechar o ano com 5 578 trabalhadores.

O BPI já tinha referido na avaliação da OPA do CaixaBank que estava a preparar-se para reduzir 250 postos de trabalho até ao final deste ano.

“O banco tem em curso iniciativas que levarão à redução de 250 efetivos até ao final do corrente ano”, refere a administração do BPI no relatório divulgado a 17 de maio. A OPA do CaixaBank tem implícita a saída de cerca de mil trabalhadores da instituição.

Nos últimos 8 anos, a redução de custos na atividade doméstica foi de 101 milhões de euros. Esta redução de custos alcançada pelo BPI envolveu o fecho de 222 balcões e a redução, em 1 868, o número de colaboradores até final de 2015.

O BPI apresentou esta terça-feira lucros de 105,9 milhões de euros no primeiro semestre, mais 39,1% do que no mesmo período de 2015.

(Notícia atualizada às 17h43 com declarações de Fernando Ulrich)

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro ministro, António Costa, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, 04 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA / POOL/LUSA

Governo vê economia a crescer 4,3% em 2021 e desemprego nos 8,7%

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, durante a conferência de imprensa após a reunião extraordinária da Comissão Permanente de Concertação Social por video-chamada, no Ministério da Economia, em Lisboa, 16 de março de 2020. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Segunda fase do lay-off custa mais de 700 milhões de euros

Jorge Rocha de Matos, presidente da Fundação AIP. Foto: direitos reservados

Rocha de Matos: IVA devia ser de 6% em todos os eventos para ajudar o turismo

BPI prepara saída de mais 267 trabalhadores até final do ano