Brexit

Brexit: Principais empresários britânicos apelam à permanência na UE

Fotografia: Laurent Dubrule/EPA
Fotografia: Laurent Dubrule/EPA

Líderes das principais empresas britânicas instaram os cidadãos britânicos a votarem pela permanência na UE, em nome do emprego e do comércio.

Líderes das principais empresas britânicas instaram hoje os cidadãos britânicos a votarem esta quinta-feira pela permanência do Reino Unido na União Europeia, em nome do emprego e do comércio.

Numa carta aberta divulgada hoje pelo “The Times”, os responsáveis de mais de metade das grandes empresas britânicas cotadas na Bolsa de Londres — 1.250 empresários que, em conjunto, dão emprego a 1,75 milhões de pessoas — argumentam que a opção pelo ‘Brexit’ no referendo desta quinta-feira “prejudicaria” a economia britânica.

Entre as empresas cossignatárias figuram mais de 900 pequenas e médias empresas e 51 grupos incluídos no “Footsie”, o índice principal da bolsa londrina FTSE-100.

“O abandono da União Europeia pelo Reino Unido significaria incerteza para as nossas empresas, menos comércio com a Europa e menos empregos”, argumentam os empresários.

De acordo com os cossignatários, se a opção de saída vencer, terão que ser restabelecidos “a partir do zero” os termos das relações comerciais entre o Reino Unido e os principais mercados.

Além disso, argumentam, “os negócios mais pequenos e as pessoas que estes empregam são particularmente vulneráveis a qualquer choque económico que possa ocorrer”.

A carta foi divulgada no dia seguinte ao ex-presidente da Câmara de Londres Boris Johnson, um dos principais defensores do ‘Brexit’, ter precisamente acusado os líderes empresariais britânicos de estarem alinhados com “uma operação de Downing Street [sede do Governo britânico]”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Um elemento da polícia conversa com um condutor durante o primeiro dia das cercas sanitárias para conter o surto da covid-19, em Ponta Delgada, ilha de São Miguel, Açores, 03 de abril de 2020. Na quinta-feira, o Governo dos Açores decidiu fixar cercas sanitárias nos seis concelhos da ilha de São Miguel, para fazer face à pandemia de covid-19 na região, medida que vai vigorar até 17 de abril. EDUARDO COSTA/LUSA

País “fecha” à meia-noite até dia 13. Circulação limitada e aeroportos fechados

(D.R.)

Compras portuguesas de cereais estão seguras. Consumo já cai e volta ao bairro

autoeuropa coronavirus

Siza Vieira: Nem estado de emergência impede Autoeuropa de reabrir a 20 de abril

Brexit: Principais empresários britânicos apelam à permanência na UE