Banif

BTG Pactual desiste do Banif Brasil

Fotografia: Leonardo Negrão / Global Imagens
Fotografia: Leonardo Negrão / Global Imagens

Banco brasileiro diz que as condições da proposta não vinculativa não se verificaram.

O banco brasileiro BTG Pactual desistiu da compra do BANIF Brasil, alegando falta de condições para a transação, segundo um comunicado divulgado hoje no ‘site’ da instituição financeira.

A 11 de julho, o BTG Pactual tinha revelado que estava em conversações para a aquisição do BANIF — Banco Internacional de Funchal (Brasil) e de outros ativos do grupo BANIF Portugal e da Oitante, tendo já apresentado uma proposta não vinculativa.

O banco brasileiro informou hoje que as negociações foram encerradas face à “não verificação de condições precedentes contidas na proposta”, sem detalhar quais.

“Em continuidade ao comunicado ao mercado divulgado em 11 de julho de 2016, comunica aos seus acionistas e ao mercado em geral que, em relação à proposta não vinculante celebrada pelo BTG Pactual para a potencial aquisição do BANIF – Banco Internacional do Funchal (Brasil) S.A. e outros ativos do grupo Banif Portugal e da Oitante S.A. (“Proposta”), encerrou as tratativas envolvendo as transações ali contempladas diante da não verificação de condições precedentes contidas na Proposta”, segundo o comunicado.

A 20 de dezembro do ano passado, o Governo e o Banco de Portugal anunciaram a resolução do Banif com a venda da atividade bancária ao Santander Totta por 150 milhões de euros e a criação da sociedade-veículo Oitante para a qual foi transferida parte dos ativos que o Totta não quis.

Foi na Oitante que ficaram participadas como a Açoreana Seguros, que foi comprada recentemente pela Tranquilidade.

Já no Banif S.A. – o ‘banco mau’ – ficaram as posições dos acionistas e obrigacionistas subordinados do Banif e as operações que o banco tinha no Brasil e em Cabo Verde.

O objetivo futuro é que esta entidade seja liquidada, como está já a acontecer com o ‘BES mau’.

Ainda antes do resgate, a operação do Banif no Brasil estava já para venda. No entanto, o processo nunca avançou e começaram a perceber-se os graves problemas que existiam naquela entidade.

Em 2013, o banco abriu uma ação de responsabilidade civil contra os ex-diretores da subsidiária Banif Brasil, depois de auditorias internas terem detetado “indícios de irregularidades”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Ilustração: Vítor Higgs

Indústria têxtil em força na principal feira de Saúde na Alemanha

O Ministro das Finanças, João Leão. EPA/MANUEL DE ALMEIDA

Nova dívida da pandemia custa metade da média em 2019

spacex-lanca-com-sucesso-e-pela-primeira-vez-a-nave-crew-dragon-para-a-nasa

SpaceX lança 57 satélites para criar rede mundial de Internet de alta velocidade

BTG Pactual desiste do Banif Brasil