BPI

CaixaBank já pediu registo da OPA sobre BPI

BPI
BPI

CaixaBank já solicitou registo da oferta pública de aquisição sobre BPI mas oferta ainda está pendente de autorizações administrativas

O grupo bancário espanhol CaixaBank já fez chegar ao regulador dos mercados o pedido de registo da Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre o capital do BPI, oferta que no final de setembro passou de voluntária a obrigatória, graças à desblindagem dos estatutos do banco presidido por Fernando Ulrich. Os catalães oferecem agora 1,134 euros por cada ação do BPI.

Considerando o Código dos Valores Mobiliários, e depois de entregar o novo anúncio preliminar da OPA a 21 de setembro, o grupo espanhol tinha até esta terça-feira, dia 11, para solicitar o registo da oferta sobre o capital do BPI.

A entrega do pedido de registo da OPA foi hoje confirmada pelo Dinheiro Vivo junto de fontes ligadas à oferta. Contactado, o CaixaBank preferiu não fazer quaisquer comentários.

Mas apesar de este pedido ter já avançado, tal não implica que a CMVM inicie no imediato a avaliação do mesmo, já que, conforme foi estipulado no próprio anúncio preliminar, a OPA ainda está pendente de uma série de autorizações administrativas. Algumas destas já foram conseguidas, outras ainda estão a ser trabalhadas – como por exemplo obter o ‘ok’ do supervisor bancário angolano.

Na última sexta-feira, o BPI comunicou ao mercado ter chegado a acordo para ceder a posição de controlo no Banco Fomento de Angola (BFA) à Unitel, com a venda de 2% do capital do BFA à empresa detida por Isabel dos Santos, também ela dona de 18,5% do BPI.

A CMVM só poderá proceder à avaliação do pedido de registo depois de todas as suas condicionantes estarem satisfeitas, pelo que o próximo passo da OPA caberá entretanto à administração do BPI, que deverá voltar a pronunciar-se sobre os termos e a contrapartida oferecida pelo CaixaBank.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Utentes à saída de um cacilheiro da Transtejo/Soflusa proveniente de Lisboa, em Cacilhas, Almada. MÁRIO CRUZ/LUSA

Salário médio nas empresas em lay-off simplificado caiu 2%

Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. Fotografia: António Cotrim/Lusa

Empresas já podem candidatar-se ao novo lay-off

App TikTok

Microsoft estará interessada na compra da operação global do TikTok

CaixaBank já pediu registo da OPA sobre BPI