banca

Centeno: “Nenhum euro” dos contribuintes vai para Novo Banco

Mário Centeno, Ministro das Finanças.
Fotografia: Francois Lenoir/Reuters
Mário Centeno, Ministro das Finanças. Fotografia: Francois Lenoir/Reuters

Os empréstimos do Estado ao Novo Banco superam os cinco mil milhões de euros.

O ministro das Finanças, Mário Centeno, defende que “nenhum euro” dos contribuintes portugueses será utilizado na nova operação de capitalização do Novo Banco, requerida na última sexta-feira pela instituição que há dois anos foi adquirida pelo fundo norte-americano Lone Star e que fechou 2018 com prejuízos superiores a 1400 milhões de euros.

“Não há nenhum euro de impostos dos portugueses a ser utilizado nesta operação”, disse o ministro em entrevista na RTP 3, ontem à noite.

Após a divulgação dos prejuízos, o Novo Banco informou que pretende recorrer ao Fundo de Resolução para uma injeção de 1149 milhões de euros. O fundo, participado pelas instituições bancárias portuguesas, está na esfera do Estado e deverá recorrer a um empréstimo do Tesouro, que poderá chegar aos 850 milhões de euros.

Na última noite, Centeno afirmou que, “no futuro, o Fundo de Resolução vai pagar este empréstimo ao Estado” – “em 30 anos, com as contribuições do sector bancário”, esclareceu na entrevista.

O ministro das Finanças, que é ouvido sobre a matéria esta quinta-feira na Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa da Assembleia da República, admitiu no entanto “uma perda significativa para a economia portuguesa” com a nova capitalização. Desde há cinco anos que o Novo Banco acumula resultados negativos. Os empréstimos do Tesouro ao Novo Banco superam os cinco mil milhões.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Mário Vaz, CEO da Vodafone Portugal  Fotografia: Orlando Almeida / Global Imagens

Mário Vaz. “Havendo frequências, em julho teríamos cidades 5G”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (C), durante a cerimónia militar do Instituto Pupilos do Exército (IPE), inserido nas comemorações do 108.º aniversário da instituição, em Lisboa, 23 de maio de 2019.  ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Marcelo: “Quem não for votar, depois não venha dizer que se arrepende”

Certificados

Famílias investiram uma média de 3,3 milhões por dia em certificados este ano

Outros conteúdos GMG
Centeno: “Nenhum euro” dos contribuintes vai para Novo Banco