banca

CGD: 347 trabalhadores deixaram o banco até maio

CGD

Até 2020, a Caixa corta 2000 postos de trabalho. Fecho de agências também vai obrigar a relocalizar pessoal.

Em cinco meses, 347 trabalhadores deixaram a Caixa Geral de Depósitos – a maioria, por via do plano de reformas do banco que se encontra em processo de reestruturação e que, até 2020, prevê retirar um total de 2000 trabalhadores dos quadros.

O número é avançado pelo semanário Expresso este sábado, notando que até ao final do ano a Caixa deverá afastar pelo menos mais 150 funcionários para cumprir o plano de redução anual de 500 trabalhadores.

O plano de saídas do pessoal da Caixa, que no ano passado contava 8321 trabalhadores, tem vindo a realizar-se por via de rescisões amigáveis, pré-reforma e reforma. Em 2017, saíram 547 funcionários da CGD.

Com o encerramento de balcões do banco – 70 este ano – haverá também trabalhadores recolocados. A Comissão de Trabalhadores da Caixa diz não ter os números exatos, mas prevê que centenas de funcionários se encontrarão nessa situação.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
António Costa, primeiro-ministro português, em Bruxelas. EPA/CHRISTIAN HARTMANN / POOL

O que já se sabe que aí vem no Orçamento para 2020

A coordenadora da Frente Comum, Ana Avoila. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Os 0,3% que acabaram com a paz entre função pública e governo

Marcelo Rebelo de Sousa, Christine Lagarde e Mário Centeno. Fotografia: MIGUEL FIGUEIREDO LOPES/LUSA

Centeno responde a Marcelo com descida mais rápida da dívida

Outros conteúdos GMG
CGD: 347 trabalhadores deixaram o banco até maio