depósitos

CGD aproxima juros de depósitos de 0%

Paulo Macedo, presidente executivo da Caixa Geral de Depósitos. 
(Orlando Almeida / Global Imagens)
Paulo Macedo, presidente executivo da Caixa Geral de Depósitos. (Orlando Almeida / Global Imagens)

Em algumas contas depósito que têm uma taxa de juro bruta de 0,050%, a remuneração passa a ser de 0,015%.

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) vai baixar ainda mais a remuneração de algumas contas de depósito de particulares e empresas, passando a taxa de juro bruta para 0,015%, a partir do dia 1 de agosto.

“A menor capacidade de remuneração de depósitos e poupanças pelo setor bancário assenta na necessidade de ajustamentos progressivos de modo a assegurar a sustentabilidade do setor, no atual contexto”, explicou uma fonte oficial do banco estatal.

Frisou que “a CGD tem vindo a reforçar a proposta de valor para os clientes detentores de contas Caixa [Azul, Platina, L, M, etc.], bem como a criar, para todos os seus clientes, oportunidades para que os clientes realizem uma maior diversificação das suas carteiras, seja através do investimento em seguros financeiros, fundos ou PPR (Planos Poupança Reforma)”.

Entre as contas que vão sofrer uma redução na remuneração estão as contas Caixapoupança Reformado e Caixapoupança Emigrante, que tinham uma taxa anual nominal bruta (TANB) de 0,050% que agora desce para os 0,015%.

As taxas de juro de referência de curto prazo há muito que estão em terreno negativo.

Em Portugal, a lei não permite a aplicação de taxas de juro negativas a contas de depósito, já que configuram uma aplicação de capital garantido.

Aos eventuais juros recebidos, ainda há que aplicar a correspondente taxa de imposto de IRS ou IRC e descontar o efeito da inflação, para apuramento do rendimento real. O Banco de Portugal estima que Portugal registe em 2019 uma taxa de inflação de 0,9%.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Greve de motoristas de matérias perigosas parou o país, em abril. 
(MÁRIO CRUZ/LUSA

Nova greve dos camionistas dia 12. Pré-aviso já foi entregue

Assunção Cristas e Bruno Bobone, na sede da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, nos Restauradores
(ANTÓNIO COTRIM/LUSA)

Cristas apela a empresários para darem mais força à oposição

Assunção Cristas e Bruno Bobone, na sede da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, nos Restauradores
(ANTÓNIO COTRIM/LUSA)

Cristas apela a empresários para darem mais força à oposição

Outros conteúdos GMG
CGD aproxima juros de depósitos de 0%